Sem categoria

Rede estadual do Amazonas terá primeira escola bilíngue com idioma japonês

O titular da Seduc, Rossieli Soares, acompanhou o governador José Melo durante visita à escola ainda em obras – foto: divulgação

O titular da Seduc, Rossieli Soares, acompanhou o governador José Melo durante visita à escola ainda em obras – foto: divulgação

Marcando a abertura do ano letivo da rede estadual de educação em 2016, o Amazonas vai ganhar sua primeira escola com ensino bilíngue do japonês. Trata-se da Escola Estadual de Tempo Integral Djalma da Cunha Batista, na Zona Leste de Manaus, cujas obras foram visitadas na manhã desta terça-feira (19) pelo governador José Melo, antes da entrega à Secretaria de Estado de Educação (Seduc) pela construtora. A volta às aulas dos mais de 515 mil estudantes de todo o Estado ocorrerá no dia 15 de fevereiro.

Tradicional colégio amazonense, inaugurado em 1980, a escola estadual Djalma da Cunha Batista está localizada na avenida General Rodrigo Octávio, nº 1600, bairro Coroado I, em frente à Universidade Federal do Amazonas (Ufam), e recebeu investimentos da ordem de R$ 10,5 milhões para ser adaptada ao modelo de educação de tempo integral.

É também a primeira escola pública com o modelo de ensino bilíngue do japonês na educação básica do país, trabalho desenvolvido em parceria com o Consulado do Japão, Associação Nipo-Brasileira da Amazônia Ocidental (Nipaku) e o curso de Língua Japonesa da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

“Essa escola foi totalmente reformada e ampliada, ganhando vários tipos de mudanças para passar a funcionar no modelo de ensino integral. Em homenagem a essa beleza toda, vamos abrir o ano letivo aqui. Mas não estamos fazendo só esta escola, temos outras 70 escolas que estão sendo construídas e reformadas pelo meu governo, além das escolas de tempo integral”, ressaltou José Melo.

Além de ensinar o idioma, a escola bilíngue será referência no acesso à cultura japonesa. A iniciativa também está em consonância com a forte presença de empresas do Japão no Polo Industrial de Manaus. Quarta maior colônia do Japão no Brasil, o Amazonas tem cerca de 160 mil descendentes e é uma das rotas estratégicas para investimentos de capital japonês no país, com 32 empresas em operação no Estado.

Segundo o secretário estadual de educação, Rossieli Soares, a ideia é contar com investimentos das empresas em projetos dentro da escola. As tratativas estão em andamento. “Nós temos uma série de projetos encaminhados nesse sentido e temos a parceria firmada com o Consulado Japonês no financiamento dos projetos. Essa é uma escola muito importante nas relações com o governo japonês porque será a primeira escola pública do Brasil a ser bilíngue no idioma. Teremos um laboratório específico de língua financiado pelo governo japonês”, frisou o secretário de educação.

Além de aprender o idioma, os alunos também vão estudar algumas disciplinas tanto em português quanto no japonês. Um currículo escolar especialmente elaborado, com materiais didáticos e ambientes para o aprendizado da cultura do país asiático será desenvolvido. “Os alunos terão a formação integral nas duas línguas. Não é só ensinar a língua japonesa, mas trazer a cultura e permitir que o aluno saia com aprendizado diferenciado”, disse Soares.

Este ano, o governo do Amazonas também começa a desenvolver projetos de escolas bilíngues em inglês, espanhol e francês para implementação das escolas no ano que vem, de acordo com o titular da Seduc.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir