Cultura

Recital ‘Canções de Ninar’ traz universo infantil na música erudita no Teatro da Instalação

Mestre e bacharel em Canto pela Manhattan School of Music, Daniella Carvalho já se apresentou em palcos na Itália, Áustria – Divulgação

Além dos temas que envolvem a vida dos adultos, o universo infantil também serve de inspiração para a música erudita. É o que o público poderá conferir no Recital Ambev 4 – “Canções de Ninar”, a ser apresentado na próxima segunda-feira (22), às 19h, no Teatro da Instalação. O espetáculo gratuito faz parte da programação do 20º Festival Amazonas de Ópera (FAO).
“Canções de Ninar” reúne músicas para voz e piano de várias épocas e origens, dentre canções inspiradas nas crianças e relacionadas ao universo infantil. A lista inclui desde peças como “A charm of lullabies, op. 41” (1947), do compositor britânico Benjamin Britten, até “Summertime”, ária da ópera “Porgy and Bess” (1935), do norte-americano George Gershwin, além de obras do norueguês Edvard Grieg, do francês Francis Poulenc e do brasileiro Heitor Villa-Lobos, entre outros.

Heitor Villa-Lobos – Divulgação

“Cada música traz diferentes aspectos do universo infantil, visto pelos olhos do adulto. Cada uma vem carregada de muita emoção e de histórias”, antecipa a soprano Daniella Carvalho, que interpreta as canções do recital ao lado de Marcelo de Jesus, ao piano, e que propôs o programa do recital inspirada na sua condição de futura mamãe. “A partir disso, pensei em reunir canções não usuais, mas que são bastante exploradas no repertório da música erudita”, explica ela, hoje grávida de seis meses.

Daniella menciona como exemplo “Summertime”, cantada como canção de ninar pela personagem Clara em “Porgy and Bess”. “Ela vive um momento bem difícil quando canta essa canção. O mundo ao redor dela parece estar desabando, e ainda assim, quando canta, ela cria todo um mundo de conforto para o bebê em meio ao desespero”, comenta ela.

Outras peças do recital trazem tons mais alegres e lúdicos. “Britten traz visões diferentes da criança, com uma canção que traz o olhar de uma mãe, outra de uma babá. Já Poulenc brinca com o balbuciar do bebê, aquele ba-be-bi, falando de bichos”, cita a cantora.

No conjunto, o programa do Recital Ambev 4 apresenta um repertório abrangente da música erudita feita em torno da infância. “Ele reúne desde a melodia francesa, a música britânica, até a música clássica brasileira. Elas trazem diferentes formas de sentir a criança, de viver a criança, em culturas, ambientes e mundos diferentes”, assinala Daniella.

Por conta do trabalho no canto lírico, Daniella já acostuma seu bebê a apreciar a música erudita. “Ele está ouvindo tudo desde o primeiro dia de gravidez! Mesmo quando não estou em ensaio para um espetáculo, estou dando aulas de canto”, explica ela, que participa no FAO também da ópera “Tannhäuser”. “Hoje ele está ouvindo muito o repertório de ‘Canções de Ninar’, ‘Tannhäuser’ e Grieg, que farei em breve em Campinas (SP)”.

Trajetória

 

Mestre e bacharel em Canto pela Manhattan School of Music, Daniella Carvalho já se apresentou em palcos na Itália, Áustria, Estados Unidos e Brasil. Entre outros, já viveu os papéis principais em óperas como “L’amico Fritz”, “Suor Angelica”, “Madama Butterfly, “Tosca”, “Um ballo in maschera” e “La bohème”.

Seu repertório inclui obras raras como “Luonnotar”, de Jean Sibelius; “Songs of a Wayfarer”, de Gustav Mahler; “Verão de 1915”, de Samuel Barber; “Cantata”, de Igor Stravinsky; e “Rejoice in the lamb”, de Britten.

Com informações da assessoria

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top