Economia

Receita espera 28,5 milhões de declarações do IR neste ano

Expectativa do fisco federal é receber um número de declarações 2,20% maior no Amazonas, neste ano. Programa será liberado aos contribuintes até final de  fevereiro – fotos: Alberto César Araújo

Expectativa do fisco federal é receber um número de declarações 2,20% maior no Amazonas, neste ano. Programa será liberado aos contribuintes até final de fevereiro – fotos: Alberto César Araújo

A Receita Federal estima que 28,5 milhões de brasileiros terão de declarar o Imposto de Renda em 2016. No ano passado, 27,9 milhões de contribuintes prestaram contas ao Leão.

O prazo para a entrega do documento, referente aos rendimentos do ano passado, vai de 1º de março a 29 de abril.

Os programas para preenchimento e transmissão da declaração, pela internet, estarão disponíveis a partir de 25 de fevereiro no site da Receita.

O contribuinte pode fazer sua declaração por meio de computador, tablet ou smartphone. Nos últimos dois casos, a declaração é um pouco mais restrita -não comporta rendimentos acima de R$ 10 milhões, ou vindos do exterior, nem ganhos de capital.

Segundo Joaquim Adir, supervisor nacional do Programa do Imposto de Renda, será possível neste ano fazer doação a fundos de amparo à criança e ao adolescente, de 3% do imposto devido, por meio dos dispositivos móveis. Antes, a opção era restrita ao computador. A doação é abatida do imposto e devolvida na restituição.

É obrigada a apresentar a declaração a pessoa física residente no Brasil que recebeu no ano passado rendimentos tributáveis acima de R$ 28.123,91 -valor corrigido em 4,9% em relação ao de 2015.

Outras situações que exigem a entrega do documento: se o contribuinte recebeu mais de R$ 40 mil isentos de tributo, se teve lucro com alienação de bens ou direitos, se teve ganho em operações na bolsa de valores ou semelhante.

Dependentes

Neste ano, todo dependente com mais de 14 anos deverá ter CPF. No ano anterior, a exigência era para dependentes acima de 16 anos. Segundo a Receita, a mudança visa redução de fraudes, como inclusão de dependentes fictícios.

O teto para dedução no imposto de gastos com dependentes será de R$ 2.275,08. No ano passado, era de R$ 2.156,52.

Com educação, o abatimento máximo permitido será de R$ 3.561,50 por pessoa (incluindo dependente). No ano passado, foi de R$ 3.375,83.

A dedução máxima com empregado doméstico será de R$ 1.182,20. No ano passado foi de R$ 1.152,88. Não há limite de dedução para despesas médicas.

Despesa Medica

Na declaração deste ano, a Receita irá cruzar os dados de despesas médicas e com advogado do contribuinte e do prestador do serviço.

No ano passado, a Receita fez o chamado para que esses profissionais liberais -médicos, dentistas, fonoaudiólogos, psicólogos, advogados etc- informassem no carnê-leão o CPF de seus pacientes e clientes e os valores recebidos.

Essas informações deverão estar incluídas na declaração desses profissionais neste ano. Estão isentos dessa prestação de contas profissionais com rendimento mensal abaixo de R$ 1.903,98.

Segundo Adir, se as duas contas fecharem -a do contribuinte e a do profissional-, o contribuinte com altos gastos médicos não terá mais a declaração retida.

“Aquele que mais precisa do dinheiro geralmente acaba ficando retido em malha. Com essa mudança, as pessoas com despesa médica alta, se as duas contas fecharem, não terão mais a declaração retida.”

Se o profissional preencheu os dados corretamente ao longo do ano, terá apenas de importar os dados. Se não, terá de correr atrás dos CPFs de seus pacientes.

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir