Política

Rebecca quer autonomia para continuar na Suframa

Superintendente disse que precisa ter autonomia e confiar nas pessoas para permanecer no cargo- foto: divulgação

Superintendente disse que precisa ter autonomia e confiar nas pessoas para permanecer no cargo- foto: divulgação

A superintendente da Zona Franca de Manaus, Rebecca Garcia, disse, ontem, que só permanece à frente da autarquia se tiver autonomia. “A condição para continuar na Suframa é eu ter autonomia e confiar nas pessoas que estão trabalhando comigo”, disse Rebecca Garcia.

A declaração foi dada ontem, após a exoneração do secretário-geral do PP, Walter Roberto Sipelli, do cargo de superintendente adjunto de Administração da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa).

A nomeação de Sipelli foi publicada no Diário Oficial na terça-feira (12), porém, ontem quarta-feira (13), no mesmo diário, o ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, tornou sem efeito a portaria de nº 47, que nomeou Sipelli. O nome do substituto ainda não foi divulgado.

Walter Sipelli é economista, ex-executivo do Grupo Garcia, comandado pelo pai da superintendente, Francisco Garcia, e era o braço direito de Rebecca Garcia. Ele também foi subsecretário na Secretaria de Estado de Governo (Segov) na época em que Rebecca foi titular da pasta.

De acordo com servidores da Suframa, antes mesmo da nomeação ser publicada no DOU, Walter Sipelli já atuava na autarquia.

Nomeação

Rebecca Garcia foi nomeada para a Suframa quase 1 ano depois de ser cogitada para o cargo.

Na época, o Ministério Público Federal (MPF) recomendou que Rebecca abrisse mão da participação como sócia de quatro empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM) para evitar incompatibilidade entre a nomeação de Rebecca e “possíveis benefícios concedidos às empresas durante a gestão dela na Suframa”.

A superintendente atendeu à recomendação e o MPF encaminhou o parecer da Comissão de Ética e dos documentos apresentados por Rebecca ao Tribunal de Contas da União (TCU) e à Controladoria-Geral da União (CGU). O caso foi arquivado pelo MPF/AM.

A nomeação de Walter Sipelli colocaria dentro da Suframa o homem que há até poucos dias era o braço direito do Grupo Garcia, contrariando a recomendação do Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM), para evitar incompatibilidade entre a nomeação de Rebecca e possíveis benefícios concedidos às empresas durante a gestão dela na Suframa.

Por Asafe Oliveira

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir