Política

Racha entre o PMDB e PSDB repercute na CMM

Vereador Gedeão Amorim, do PMDB, saiu em defesa do candidato Eduardo Braga – Divulgação

A quebra de aliança entre PSDB e PMDB já reflete na Câmara Municipal de Manaus (CMM) e os peemedebistas da casa se preparam para migrar à bancada de oposição. O assunto permeou os debates nesta segunda-feira (19) na tribuna do Legislativo, tendo como protagonistas os vereadores Plínio Valério, do PSDB e, Gedeão Amorim, do PMDB.

Apesar de ser do mesmo partido do prefeito Arthur Neto, Plínio Valério se posicionou contra o apoio do partido à candidatura de Amazonino Mendes (PDT) ao governo que, na sua opinião, é um retrocesso. “Amazonino e Eduardo (Braga) são peças antigas de nosso cenário político e que, portanto, não trazem a solução para os problemas atuais do Amazonas”, acrescentou.

Um dos principais adversários de Amazonino, Plínio relatou um breve histórico das alianças políticas entre o ex-prefeito, o senador Eduardo Braga (PMDB), o ex-governador José Melo (Pros) e o senador Omar Aziz (PSD), ao longo dos últimos 35 anos.

Na defesa de Braga, Gedeão Amorim acredita que o Estado não possui alternativa melhor que o candidato para o comando do Amazonas.
“Podem fazer as críticas ao senador Eduardo Braga, mas eu não conheço nenhum dirigente no Executivo com maior capacidade que ele para ser o nosso governador. Gostei da escolha de Marcelo Ramos para vice-governador, pois ele é uma pessoa que tem talento e terá um grande aprendizado ao lado de Eduardo no governo, para logo mais, quem sabe, ele possa dar um voo ainda maior”, disse.

Sobre o racha na aliança, após o prefeito Arthur Neto decidir apoiar Amazonino em detrimento de Braga, o vereador disse que não foi nenhuma surpresa.

Confira a matéria completa na edição desta terça-feira (20) do Jornal Amazonas EM TEMPO.

 

Wal Lima
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

grupo
Subir