Sem categoria

Quinhentas toneladas de pescado devem ser vendidas na Semana Santa

Além dos locais oferecidos pela Sepror, feirantes de Manaus se preparam com grande estoque para que as vendas sejam promissoras - foto: Luiz Henrique Oliveira

Além dos locais oferecidos pela Sepror, feirantes de Manaus se preparam com grande estoque para que as vendas sejam promissoras – foto: Luiz Henrique Oliveira

Quinhentas toneladas de pescado estarão disponíveis em diferentes Zonas da cidade de 22 a 25 deste mês, segundo a Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror-AM). O pescado será disponibilizado com o objetivo de desafogar o fluxo de pessoas em feiras de Manaus por conta da grande demanda no decorrer da Semana Santa. Preços e espécies disponíveis nas tendas de venda não foram divulgados.

Os pontos estarão instalados no Centro Social Urbano do Parque Dez (CSU), bairro Parque Dez, Zona Centro-Sul; Feirão da Sepror, no bairro Santa Etelvina, Zona Norte e ainda no Centro de Convivência da Família da Cidade Nova, também localizado na Zona Norte da Capital de 7h às 20h. Segundo dados da secretaria, em média 360 toneladas de peixe são consumidas somente durante a semana santa, enquanto em semanas comuns, o consumo é de aproximadamente 180 toneladas.

Além dos locais oferecidos pela Sepror, feirantes de Manaus se preparam com grande estoque para que as vendas sejam promissoras. No box do feirante Isaac da Silva Santana, 32 – que funciona diariamente na feira do Multirão, Zona Norte, o peixeiro espera fluxo de clientes equivalente ao ano passado. Na feira do Multirão, o preço médio do pescado custa R$ 20 o quilo.

Entre as espécies de pescado mais procuradas nas feiras de Manaus, estão tambaqui, pirarucu, matrinxã, pacu, jaraqui e sardinha. “Estou com aproximadamente 2,5 toneladas de peixes para vender nessa Semana Santa, a mesma quantidade de 2015. Espero vender tudo, porque mesmo com a crise as pessoas tornam a comprar”, disse Santana.

Na feira da Panair, localizada no bairro Educandos, Zona Sul, o proprietário do box “Zé do Peixe”, Rogério Souza de Medeiros, 42, informou que mais de três mil peixes devem ser vendidos. “Eu separei 500 quilos de tambaqui, 300 quilos de matrinxã e mais de três mil sardinhas, pacus e jaraquis que são os peixes populares que mais têm vendas”, revelou o peixeiro que atua no ramo há mais de 30 anos. A Panair apresentou preço médio de R$ 7 o quilo do pescado.

“Os preços estão bons, vale a pena vir de manhã porque você ainda leva o peixe para casa tratado e cortado. Pela manhã a feira não fica muito tumultuada”, orientou o ajudante de mecânica Wilhacy Zany, 18, morador do bairro São Raimundo. Ele compareceu à feira da Panair e comprou tambaqui e sardinha.

Luiz Henrique Oliveira

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir