Sem categoria

Quatro pessoas são alvejadas em bar da Zona Leste; uma morreu na hora e duas a caminho do hospital

Os tiros foram efetuados de dentro de um carro que parou na frente do estabelecimento - foto: Josemar Antunes

Os tiros foram efetuados de dentro de um carro que parou na frente do estabelecimento – foto: Josemar Antunes

Quatro pessoas foram alvejadas por disparos de arma de fofo em um bar da Zona Leste de Manaus na madrugada deste domingo (8). Uma elas morreu na hora e duas a caminho de unidades hospitalares da capital. A quarta vítima foi socorrida e não corre risco de morte.

Segundo relatos de policiais da 30ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), que atenderam a ocorrência, o fato aconteceu no Bar do Waldir, localizado entre as ruas Tambaqui e Surubim, bairro Jorge Teixeira 3, por volta de 2h15.

Testemunhas relataram aos policiais que os assassinos – dois homens- chegaram ao local em uma picape Strada, cor preta, placa não identificada. O veículo parou em frente ao estabelecimento e o carona começou a efetuar os disparos em direção aos frequentadores.

A primeira vítima fatal foi José Eudes Corrêa Pinheiro, 31, também conhecido como ‘Zé da lamparina’ e ‘Zé da brincadeira’, que morreu na hora.

Já o jovem Francisco Júnior dos Santos, 21, vulgo ‘Espeto’, chegou a ser levado para o Hospital e Pronto-Socorro Platão Araújo, mas morreu a caminho do socorro. Outro rapaz, ainda não identificado, também morreu a caminho do Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio. Ele aparentava ter entre 18 e 22 anos.

A quarta vítima dos tiros foi um rapaz identificado apenas com Natã, levado para o Plantão Araújo, onde foi atendido e não corre risco de morrer.

Os policiais encontrara, no local do crime capsulas de pistola tipo ‘PT.40’. Nas paredes e porta do bar ficaram outo marcas de bala.

Uma sobrinha de José Eudes, que não quis ter o nome revelado, contou que o tio costuma frequentar muito o bar e estava lá desde 19h de ontem. “Ele trabalhava numa escola do Novo Aleixo (Zona Norte) e não tinha inimigos no Jorge Teixeira. Acredito que meu tio foi morto por engano. Estava no local errado na hora errada”.

O caso foi registrado no 14º Disrito Integrado de Polícia (DIP).

Por equipe EM TEMPO Online

Com informações de Josemar Antunes

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir