País

Quatro pessoas morrem em confrontos nos transportes públicos do Rio

Quatro pessoas morreram nas últimas horas, em assaltos nos transportes públicos do Rio. Na madrugada de hoje (6), por volta das 4h30, um assalto dentro de um trem do ramal Japeri deixou um assaltante morto e outro ferido durante troca de tiros com um policial militar na chegada à Estação Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

O homem ferido foi levado para o Hospital da Posse. O Corpo de Bombeiros e o Grupamento de Policiamento Ferroviário da Polícia Militar foram acionados para atender à ocorrência. Os demais passageiros que estavam na composição foram orientados a desembarcar na estação e seguir viagem em outros trens. A circulação do ramal Japeri não foi afetada.

A SuperVia, concessionária do transporte ferroviário, informa que a segurança pública no sistema é atividade típica e exclusiva do Estado, que atua nas estações e trens por meio do Grupamento de Policiamento Ferroviário. Essa é uma das determinações  do contrato de concessão. A Secretaria Estadual de Segurança Pública tem auxiliado no reforço das rondas ao longo do sistema e a concessionária ampliou essa atuação, com o suporte de policiais militares contratados dentro do Programa Estadual de Integração de Segurança (Proeis). A SuperVia opera em todas as estações com agentes de controle, com o objetivo de informar, orientar e garantir o bem-estar e a integridade dos passageiros.

Na noite passada, por volta das 21h30, três pessoas morreram numa tentativa de assalto ao ônibus da Linha 110 (São Gonçalo – Passeio), na Avenida Presidente Vargas, região central da cidade.  Um   sargento da Polícia Militar que viajava no coletivo reagiu quando dois homens anunciaram um assalto. Na troca de tiros, dois suspeitos do crime morreram. O motorista do ônibus também acabou atingido por um tiro e morreu na hora. Além do motorista, um suspeito do crime morreu no local e o outro morreu a caminho do Hospital Municipal Souza Aguiar.

De acordo com informações da Divisão de Homicídios da Capital, um inquérito foi instaurado para apurar as circunstancias das mortes de Márcio Douglas Oliveira Diniz, 41 anos, Gabriel Salomão Souza, 26 anos e outro homem não identificado. O policial militar foi ouvido e a arma apreendida. As vítimas prestaram depoimento e imagens da câmera do ônibus foram solicitadas. Agentes fazem diligências em busca de informações que ajudem nas investigações.
Também na noite passada, no morro da Mangueira, zona norte da cidade, duas crianças, uma de 5 e outra de 7 anos, foram vítimas de balas perdidas, durante tiroteio entre policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da comunidade e traficantes de drogas. Dois policiais militares  também ficaram feridos no confronto. Segundo a polícia, a troca de tiros começou depois que pelo menos dois criminosos armados atiraram contra militares da UPP, que faziam ronda de rotina na localidade do Telégrafo. Ninguém foi preso. Os dois militares foram socorridos no hospital da corporação. Um deles – atingido de raspão – foi logo liberado.

Um dos feridos, o menino de 7 anos, foi atingido no peito quando brincava na calçada com um celular. Ele foi levado às pressas para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, onde passou por cirurgia. Seu estado de saúde é considerado estável. Uma menina de cinco anos, que também brincava na rua, ficou ferida na perna, por um tiro de raspão, durante o confronto. Ela foi medicada na mesma unidade de saúde e liberada.

Por Agência Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir