/* */
Dia a dia

Quatro meses depois, autônomo tem corpo liberado pelo IML

Os familiares do autônomo Adriano Costa Amorim, assassinado no mês de novembro do ano passado, aguardavam há quatro meses que o Instituto Médico Legal (IML) fizesse a identificação do corpo do rapaz, que foi encontrado no ramal Azul da BR-174, estrada que vai para o município de Presidente Figueiredo (distante 118 km de Manaus).

De acordo com a tia do rapaz, a doméstica Maria Alice, 57, o corpo do rapaz foi encontrado próximo ao sítio onde ele estava morando, com a face desfigurada por conta de um tiro de arma de fogo.

Maria Alice lamentou a demora para a liberação do corpo do rapaz. Segundo ela, Adriano era usurário de drogas e já havia sido preso por tráfico de drogas, mas não chegou a ficar detido mais de 24 horas.

“Depois que ele foi liberado, ele disse que não queria mais isso e passou a ir morar comigo no sítio”, disse a doméstica, informando que os suspeitos pelo homicídio ainda não foram identificados. Segundo ela, os vizinhos informaram que um carro preto e duas motos procuravam por um homem conhecido como “Macaquinho”, mesmo apelido de Adriano. A tia acredita que o sobrinho tenha sido alvejado por engano.

“Ele falou que um rapaz havia ameaçado ele por conta de um celular que comprou e não pagou, mas acredito que não tenha sido isso o fato dele ter sido assassinado. Ele foi confundido com outro rapaz”, disse.

Henderson Martins
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir