Mundo

Quase cem facções rebeldes aceitam cessar-fogo na Síria

O governo sírio diz que respeitará o cessar-fogo, mas se dá o direito de revidar qualquer ataque - foto: divulgação

O governo sírio diz que respeitará o cessar-fogo, mas se dá o direito de revidar qualquer ataque – foto: divulgação

Noventa e sete facções rebeldes aceitaram o cessar-fogo proposto por Rússia e Estados Unidos para a guerra civil síria, segundo o Alto Comitê de Negociações (ACN), que reúne diversos grupos de oposição ao governo do ditador Bashar Al-Assad.

A trégua, que teoricamente entrará em vigor no sábado (horário local, 19h de sexta em Brasília) e terá duas semanas de duração, não inclui as facções extremistas Estado Islâmico e Frente Al-Nusra (ramo da Al Qaeda), nem outras organizações terroristas reconhecidas pela ONU.

Segundo o comunicado do ACN, a oposição espera que o regime sírio e seus aliados se comprometam com a trégua e não usem o pretexto da luta contra terroristas para atacar forças rebeldes.

O governo sírio diz que respeitará o cessar-fogo, mas se dá o direito de revidar qualquer ataque. Também a Rússia afirmou que continuará sua ofensiva contra grupos terroristas, conforme autorização do Conselho de Segurança da ONU.

Ataques

Segundo a ONG Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), forças aéreas russas bombardearam civis perto de Damasco, no subúrbio rebelde de Douma, na madrugada de quinta (25) para sexta (26). O governo de Moscou rejeitou a acusação.

Também foram registrados ataques nas imediações da cidade de Aleppo, que vem sendo disputada entre forças rebeldes e o governo há semanas.

Na quinta (26), o presidente dos EUA, Barack Obama, disse ter esperança de que o cessar-fogo na Síria possa levar a um acordo político que ponha fim à guerra civil e que permita uma luta focada contra o Estado Islâmico. No entanto, ele também disse não ter expectativa de que a trégua possa imediatamente pôr fim a hostilidades entre forças aliadas a Assad e rebeldes.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir