Especiais

Piabeiros resistem as adversidades em Barcelos

A vida dos piabeiros, homens mulheres que vivem da pesca do peixe ornamental, às margens do rio Negro e dos milhares dos seus afluentes no município de Barcelos (a 399 quilômetros de Manaus), é a mais pura das literaturas da sobrevivência na Amazônia, com recursos naturais renováveis. Mas, na beleza da atividade artesanal, às margens da lei trabalhista, sem vínculo empregatício garantido e sem carteira de trabalho assinada, os piabeiros vivem abandonados pelo Estado. Apesar de serem a parte mais importante da atividade feita de forma artesanal, que nasceu em meados dos anos 1950, eles ainda são mal remunerados e por isso aparecem como a parte mais fraca de uma cadeia produtiva, que ainda passa por atravessadores e rende bons lucros aos exportadores. Neste cenário, a pesca de peixe ornamental, que já foi a 8ª em volume de exportação do Amazonas, e já garantiu trabalhou para mais de 10 mil pessoas em Barcelos, nos anos 1990, vive hoje em declínio, com poucas famílias se mantendo na resistência da atividade.

Fotos: RICARDO OLIVEIRA

_MG_9505

_MG_9542

_MG_9956

ALTA_MG_0015

ALTA_MG_9732

E4__MG_9383

EDITADAS_005

_MG_0542

_MG_0807

_MG_0951

_MG_1201

_MG_1276

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir