Sem categoria

Próxima reunião do CAS está marcada para o dia 1º de setembro, anuncia Igrejas

A informação foi data pelo interino da Suframa, durante audiência na Aleam - foto: divulgação

A informação foi data pelo interino da Suframa, durante audiência na Aleam – foto: divulgação

Após um intervalo de 8 meses sem deliberações, o Conselho de Administração da Suframa (CAS) volta a se reunir na próxima terça-feira (1º).

A informação foi data pelo interino da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), Gustavo Igrejas, durante a audiência pública que trata da ‘Desburocratização dos Procedimentos na Abertura de Empresas e Respectivo Funcionamento’, realizada na manhã desta segunda-feira (24), pela Comissão de Indústria Comércio Exterior e Mercosul (Cicem) da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), presidida pelo deputado Serafim Corrêa (PSB).

A primeira reunião do CAS em 2015 ocorreu no dia 30 de abril. Na próxima semana, o encontro irá discutir os investimentos do Polo Industrial de Manaus (PIM).

“A Suframa vem passando por uma fase de transformação e durante os últimos 20 anos, nunca passou por mudanças tão profundas que possam contribuir para a desburocratização. Hoje, por exemplo, a documentação é entregue pelo Ipaam a dois setores na Suframa. Eestamos trabalhando para que seja necessário apenas um documento”, adiantou o superintendente, Gustavo Igrejas.

Um dos pontos importantes apresentado durante a audiência de desburocratização foi a implementação do sistema integrador – Rede Sim – da Junta Comercial do Amazonas (Juceia), que começa a funcionar no próximo dia 22 de setembro, conforme anúncio do ex-deputado federal e presidente do órgão, Carlos Souza.

“Vemos, hoje, linguagens diferenciadas. Esse é o grande impasse que acontece para implementação da Rede Sim. Com essa rede, vai haver uma dinâmica muito maior com a integração das empresas. Haverá mais produtividade e agilização dos processos e a diminuição de fraudes”, relatou o presidente do Jicea.

Outro problema para a abertura de empresas no Estado, conforme um dos representantes dos Correios, Marcelo Augusto, é a falta de comunicação entre os dados dos Correios e os sistemas de informática da rede municipal, que dificultam o cruzamento de dados. Segundo Augusto, é preciso a implantação de um sistema simplificando.

Para Serafim Corrêa, o impasse do sistema de dados e, respectivamente, o alinhamento da correção de endereços, também pode ser amenizado com a não modificação dos nomes de ruas em Manaus, como em Projetos de Lei que vêm tramitando na Câmara Municipal.

“Os impactos que a burocratização traz a nossa cidade é muito grande. As diversas repartições e os diversos órgãos não conseguem conversar uns com os outros. A função que estamos exercendo é a de abrir canais para que eles possam conversar entre si. Nós temos perdido muitos empreendimentos, como de empresas que desistiram de se instalar aqui”, argumentou o deputado.

Serafim frisou que, nas atuais circunstâncias, só há dois caminhos: ou a empresa desiste ou ela vai funcionar pela informalidade. “Temos a corrupção, o desperdício e a sonegação. Temos que acabar com esses entraves”, defendeu Serafim.

Os deputados Augusto Ferraz, Dermilson Chagas, que são membros da Cicem e José Ricardo, vice-presidente da Comissão, também participaram das discussões.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir