Política

Protestos contra governo Dilma ocorrem em oito capitais e no Distrito Federal

Manifestações convocadas por organizações contrárias ao governo ocorrem em várias capitais brasileiras – foto: ABr

Manifestações convocadas por organizações contrárias ao governo ocorrem em várias capitais brasileiras – foto: ABr

Os protestos deste domingo (16) contra o governo da presidente Dilma Rousseff ocorrem em pelo menos oito capitais do país, além do Distrito Federal.

Em Brasília, onde os manifestantes começaram a seguir em direção à Esplanada dos Ministérios por volta das 10h30, 25 mil pessoas participam do protesto, segundo estimativas da Polícia Militar. De acordo com os movimentos que organizam o ato, o público é de 45 mil.

Em março e abril do ano passado, atos semelhantes reuniram 45 mil e 25 mil pessoas na capital federal, de acordo com a PM.

No Rio, manifestantes lotam a orla de Copacabana com faixas e cartazes contra Dilma, o ex-presidente Lula e o PT.

Ainda não há estimativa de público no protesto de abril, a PM do Rio não divulgou números, mas os organizadores falaram de 20 mil presentes. Em março, a PM calculou 100 mil presentes.
Em Salvador, a PM estima 4 mil pessoas no Farol da Barra e, em Belém, 1.500 pessoas na região central da cidade.

Em São Paulo, a manifestação ocorrerá na avenida Paulista a partir das 13h, embora pequenos grupos já se reúnam na região, sobretudo no entorno do Masp, desde a manhã.

Políticos
Em Belo Horizonte, a manifestação anti-Dilma contou com a presença do presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), derrotado nas eleições presidenciais de 2014. Foi a primeira participação do tucano nos atos contra o governo.

Vice na chapa de Aécio, o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) participou do ato em Brasília avaliou que, independentemente do número de manifestantes nas ruas, a rejeição à presidente Dilma Rousseff é “oceânica”.

Segundo ele, o alívio dado ao Palácio do Planalto na última semana, quando foi apresentada agenda de reformas pelo PMDB no Senado Federal para superar a crise econômica, tem “fôlego curto”.

A manifestação de Brasília teve ainda participação de políticos do PMDB, como o deputado Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), que defendeu a renúncia de Dilma e a saída do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), do cargo.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir