Política

Proposta prevê isenção de IPVA a veículos escolares em Manaus

Empresas de transporte escolar defendem a aprovação da proposta – Divulgação

Uma indicação enviada ao governador José Melo (Pros) pelo presidente da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), deputado David Almeida (PSD), poderá trazer a redução no pagamento das mensalidades do transporte escolar na capital amazonense. Ao menos é o que avaliam representantes do setor. O projeto, se acatado pelo Executivo, vai conceder isenção do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) aos veículos de transporte escolar.

De acordo com o presidente do Sindicato das Empresas, Microempresas e Transportadores Autônomos de Transporte Escolar do Amazonas (Sindetesc), Silvânio Carvalho, caso seja aprovada a matéria e, consequentemente, haja o aumento na demanda, o setor poderia reduzir a mensalidade em até 30% sobre o valor comercializado atualmente, que
chega a R$ 200.

Presidente da Aleam, David Almeida (PSD), enviou sugestão ao governador José Melo (Pros), na semana passada – Divulgação/Aleam

Outra possibilidade que poderia favorecer a redução dessa mensalidade, segundo o dirigente, seria a abertura de linhas de créditos, por meio da Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam) para a renovação da frota e melhoria do sistema de transporte.

“Hoje tem pessoas pagando R$ 2,8 mil a R$ 3,5 mil de prestação de carro. E os valores reduzidos e a concorrência desleal do transporte irregular fazem com que sejamos penalizados e não possamos trocar os veículos de maneira mais rápida”, disse o
sindicalista.

“Essa ajuda viria em ótimo momento. Esperamos que o governador nos apoie nisso, pois vai ajudar na organização da categoria e poderemos ter um monitor em cada veículo, o que significa segurança para as crianças e novas vagas de emprego”, afirmou.

De acordo com o deputado David Almeida, a intenção é que o valor cobrado pelo serviço chegue mais barato para a população e também beneficie os proprietários com a isenção e, dessa forma, possam melhorar a manutenção de seus veículos ou mesmo renovar a frota.

Conforme dados da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), só em Manaus, a frota autorizada para condução escolar possui hoje 496 veículos. Um deles é a van de Daniel Lopes, que trabalha no setor há mais de 10 anos. Ele conta que paga R$ 1.893 reais de IPVA de seu veículo, além de cerca de R$ 1,5 mil de taxas anuais ao Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) e SMTU. Com a isenção, segundo ele, daria para investir na qualificação do serviço
e barateá-lo.

Daniel Lopes disse que, de acordo com as normas atuais, os valores do IPVA para esses veículos não são reduzidos com o passar dos anos. Segundo o transportador escolar, a isenção estimularia os clandestinos a se regularizarem e tornaria a fiscalização do serviço seria mais eficaz.

“Essa isenção já existe em outros Estados, como São Paulo e Pernambuco. Eu acho oportuno, porque isso vai levar a uma melhoria significativa no serviço prestado, já que poderemos investir na compra de outro carro, por exemplo”, afirmou Lopes.

Henderson Martins

EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir