Política

Proposta de tornar Dia do Índio feriado em Manaus divide CMM

Autor do Projeto de Lei (PL) nº 331/2014 que institui o novo feriado manauara é o vereador Plínio Valério (PSDB) – foto: Tiago Correa/CMM

Autor do Projeto de Lei (PL) nº 331/2014 que institui o novo feriado manauara é o vereador Plínio Valério (PSDB) – foto: Tiago Correa/CMM

Em trâmite desde o ano passado, o Projeto de Lei (PL) nº 331/2014 — de autoria do vereador Plínio Valério (PSDB) – que institui o dia 19 de abril como feriado em Manaus como forma de homenagear o Dia do Índio causou uma série de polêmicas durante a sessão desta quarta (13) na Câmara Municipal de Manaus (CMM).

De acordo com propositor da matéria, Plínio Valério, o seu principal argumento é de que o dia servirá para que se reflita a atual situação do indígena no Estado.

“O feriado nos traz para a reflexão sobre a importância do índio em nossas vidas e sobre a atual situação que ele vive, e que precisa muito, não é só da nossa compreensão, mas muito mais de nossa ajuda”, justificou.

Na discussão, os vereadores Mário Frota (PSDB), Professor Bibiano (PT), Professor Samuel, Waldemir José (PT) e Marcel Alexandre (PMDB) se posicionaram a favor do PL.

Já o vereador Joãozinho Miranda (PTN) se posicionou contrário à matéria. “O feriado traz diversas desvantagens para o comércio, mas também para as escolas e outros órgãos de extrema importância para a população”, disse o parlamentar, que também é comerciante.

Em meio a uma acalorada discussão, o PL teve pedido de vista solicitado pelo vereador Marcelo Serafim (PSB), que alega não ser contra a homenagem ao povo indígena do Estado, no entanto teme que mais um feriado possa prejudicar tanto o atendimento dos serviços básicos como os de Saúde e Educação, quanto ao comércio e a indústria da capital.

“Eu não tenho absolutamente nada contra os indígenas. Eles têm uma história importante no nosso Estado, na capital e no país, no entanto, já temos uma quantidade absurda de feriados que param a economia, a educação pública, a saúde pública e param os serviços públicos que a população usufrui da prefeitura e Estado.”, pontuou o parlamentar.

Ponto facultativo

Em sua argumentação, Marcelo Serafim disse que neste primeiro momento os parlamentares não estarão aprovando e apoiando “apenas” o feriado do Dia do Índio, mas vão aprovar também o ponto facultativo do dia 20 de abril e observou que o dia 21 já é feriado nacional (Tiradentes) que não se pode mexer.

Com o feriado imprensado nestas datas é possível ficar até uma semana sem trabalhar e neste sentido é preciso ter responsabilidade, alertou aos demais vereadores, para a população não ficar sem os serviços essenciais neste período.

“Não podemos votar a favor deste Projeto de Lei, por ser mais um feriado, mais um dia imprensado, mais uma oportunidade para viajar. Será essa a responsabilidade que esse parlamento a de ter? Respeito e admiro o autor desta propositura, os indígenas, mas discordo em instituir o feriado municipal em homenagem ao Dia do Índio”, finalizou.

Por Karine Pantoja (jornal AGORA)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir