Sem categoria

Promotoria de Iranduba cobra cassação de Xinaik

Xinaik foi preso pela Polícia Civill, durante a operação Cauxi, por desvio de dinheiro de publico  - foto: divulgação

Xinaik foi preso pela Polícia Civil, durante a operação Cauxi, por desvio de dinheiro público – foto: divulgação

O promotor de Justiça de Iranduba, Gerson de Castro Coelho, notificou nessa sexta-feira (29) o presidente da Câmara Municipal de Iranduba (CMI), vereador Francisco Elaine (PSD), para que seja dado andamento aos procedimentos pertinentes à cassação dos mandatos do prefeito afastado, Xinaik Medeiros (Pros) e dos vereadores Paulo Bandeira (PSD), Antônio Gerlande (PTN) e Antônio Alves (PT), presos em novembro de 2015 por ocasião da operação Dízimo, suspeitos de participar de esquema de corrupção e desvio de dinheiro público.

Segundo o promotor, a finalidade do documento é dar andamento à representação formulada pelo Conselho de Cidadãos do município, com intuito de apurar o suposto crime de improbidade praticado pelo grupo. Na última terça-feira, a Comissão Processante – instaurada no fim de 2015 na CMI e que apura as denúncias de corrupção envolvendo Xinaik – protocolizou um documento na 1ª Promotoria de Justiça de Iranduba, requisitando agilidade nos trâmites do processo.

“A Câmara Municipal de Iranduba está de recesso e retorna às atividades no dia 16 de fevereiro. O prazo para apresentarmos a nossa defesa é até o dia 26. O relator que está cuidando do caso é o vereador Antônio Muniz. É provável que na primeira semana a mesa diretora promova uma sessão extraordinária especial para realizar o julgamento”, informou Antônio Maia, vice-presidente da Comissão de Cidadãos de Iranduba, autor do pedido de cassação.

O presidente da Comissão Processante, vereador Jarison Azevedo, explicou que a demora em concluir os trabalhos é devido ao volume do processo. “Já estamos no estágio final e são muitos volumes. Os documentos precisam ser analisados com cautela pela mesa julgadora. A comissão está reunindo provas contundentes que vão de encontro à nossa tese, a fim de que não deixe dúvidas acerca das irregularidades cometidas pelo prefeito Xinaik e os três vereadores”, disse Azevedo.

Além dos três parlamentares presos que estão a ponto de perder o mandato, o vereador Ernandes Rocha (PSDB) também corre risco de ser cassado, acusado de ter tentado fraudar a eleição da Comissão Processante que julgaria o processo contra Xinaik. Segundo Jarison Azevedo, Ernandes foi flagrado escolhendo nomes que seriam sorteados. O parecer pela cassação ou não do prefeito e dos quatro vereadores será anunciado durante o julgamento, que não tem data definida ainda. “Vamos torcer que após o Carnaval seja definido o dia do julgamento”, disse o presidente.

Parlamentares presos

O vereador Paulo Bandeira, que é ex-presidente da Câmara Municipal de Iranduba, Antônio Gerlande, ex-líder do prefeito afastado na casa e Antônio Alves foram presos durante a operação Dízimo, deflagrada pela Polícia Federal em novembro do ano passado. Os parlamentares estavam sendo investigados por desviar verbas de contratos federais no município de Iranduba.

A organização criminosa era composta por vereadores, secretários municipais, funcionários públicos municipais e empresários. Conforme as investigações da PF, o grupo era liderado por Xinaik, preso pela Polícia Civil durante operação Cauxi.

Por Bruna Souza

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir