Política

Projeto de Lei sobre pregação em terminais de ônibus repercute na CMM

 

Evangelizar em nenhum lugar pode ser repudiado. Não importa onde quer que sejam feitas, as pregações do evangelho vai melhorar e moldar a sociedade” reforçou o vereador Professor Samuel – foto: Robervaldo Rocha/Dircom

Evangelizar em nenhum lugar pode ser repudiado. Não importa onde quer que sejam feitas, as pregações do evangelho vai melhorar e moldar a sociedade” reforçou o vereador Professor Samuel – foto: Robervaldo Rocha/Dircom

O Projeto de Lei (PL) nº 121/2015, da vereadora Pastora Luciana (PP), que dispõe sobre a utilização dos terminais de ônibus públicos para apresentação de palestras, pregações e manifestações religiosas, repercutiu na sessão plenária desta terça-feira (11) da Câmara Municipal de Manaus (CMM).

As discussões em torno da proposta, que ainda não chegou a ser deliberada no plenário Adriano Jorge da Casa Legislativa, começou quando o vereador Mário Frota (PSDB) ressaltou que a pregação, dependendo do volume do som, poderá infringir a Lei Municipal 605/2001, que estabelece o Código Ambiental do Município, quando envolve a questão da poluição sonora.

Além disso, o artigo 33, inciso XV, da Lei Municipal 123/2004, veda a produção de ruídos acima dos padrões definidos pelo órgão ambiental municipal, especialmente mediante o uso de aparelhos de som e de megafones. “Espero que os envolvidos na prática respeitem o limite da poluição sonora”, disse Mário Frota.

Por outro lado, alguns parlamentares da bancada evangélica na Casa, como o vereador Marcel Alexandre (PMDB) defendeu o projeto da Pastora Luciana, ao ressaltar que os ‘anjos da pregação’ não vão atrapalhar o sossego das pessoas.

O vereador Joelson Silva (PHS), membro da Igreja Assembleia de Deus em Manaus, também manifestou apoio à proposta. “PL é importante, porque, além de levar o evangelho às pessoas, vai criar parâmetros para desenvolver as ministrações das pregações”, ressaltou Joelson, que fez questão de destacar que também já realizou esse tipo de trabalho nas ruas e esquinas da cidade.

“Evangelizar em nenhum lugar pode ser repudiado. Não importa onde quer que sejam feitas, as pregações do evangelho vai melhorar e moldar a sociedade” reforçou o vereador Professor Samuel.

Questionada a respeito da repercussão da proposta no plenário, Pastora Luciana respondeu que o debate é preciso, principalmente, de projetos que só beneficiam a sociedade. “Vejo esse projeto como um beneficio. Temos vistos a aflição de tantas pessoas, com o problema da violência e desamor. Creio que os parlamentares serão sensíveis e com certeza vão enxergar a necessidade do direito de levar as ministrações para dentro dos terminais do transporte coletivo”, justificou a autora.

A respeito da questão ao respeito à poluição sonora, Pastora Luciana disse que seu projeto se encontra específico para que as pregações sejam feitas com ordem e decência. “Os pastores serão credenciados e identificados. Nada que venha desrespeitar a lei”, acrescentou a parlamentar.

 

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir