Economia

Programa tem mais de R$ 1 bilhão para financiar projetos minerais sustentáveis

Ainda esta semana, será lançado edital para seleção de planos de negócios para apoio pelo programa - foto: divulgação

Ainda esta semana, será lançado edital para seleção de planos de negócios para apoio pelo programa – foto: divulgação

Projetos de inovação sustentáveis na área de mineração contarão com financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), no montante de R$ 1,18 bilhão. Com essa finalidade, as duas instituições lançaram hoje (2), no Rio de Janeiro, o Plano de Desenvolvimento, Sustentabilidade e Inovação no Setor de Mineração e Transformação Mineral (Inova Mineral).

Ainda esta semana, será lançado edital para seleção de planos de negócios para apoio pelo programa, utilizando linhas e instrumentos de apoio do BNDES e da Finep. A diretora de Indústria e Insumos Básicos do BNDES, Cláudia Prates, e o diretor de Inovação da Finep, Victor Odorcyk, anunciaram 27 projetos já selecionados para o Plano de Apoio ao Desenvolvimento e Inovação da Indústria Química (Padiq), lançado no ano passado, com investimentos de R$ 2,4 bilhões.

Esses projetos abrangem desde pesquisa e desenvolvimento para substituição de produtos alergênicos ou carcinogênicos até o desenvolvimento de fibras de carbono para os setores aeroespacial e de petróleo e gás, entre outros, passando pelo desenvolvimento de fragrâncias a partir de frutas, flores e plantas brasileiras, informou o BNDES.

Foram recebidos, ao todo, 62 planos de negócios para o Padiq, que somaram recursos de R$ 2,9 bilhões para o biênio 2016/2017. Dos 27 projetos escolhidos, 12 foram apresentados por micro, pequenas e médias empresas.

A maior indicação de aporte (70%) é para projetos químicos a partir de fontes renováveis. As restantes cinco áreas temáticas do programa são fibras de carbono, insumos para higiene pessoal e cosmético, aditivos químicos para alimentação animal, aditivos químicos para exploração e produção de petróleo e derivados de silício. Claudia Prates disse que o Padiq tem previsão de vigência de cinco anos. O objetivo, destacou a diretora do banco, é procurar parceiros para investimentos de longo prazo, de forma a “Trazer o mercado para participar conosco nos projetos”.

Já o Inova Mineral pretende apoiar planos de negócios para desenvolvimento de tecnologias de produção de materiais aplicados na geração de energia solar e eólica, e em dispositivos acumuladores de energia, essenciais, por exemplo, para o desenvolvimento do mercado de carros elétricos. De acordo com o BNDES, esses materiais, à base de silício, lítio e terras raras, são determinantes para a evolução desses setores, que trarão impactos ambientalmente positivos. Terão destaque também tecnologias dedicadas à recuperação e ao reaproveitamento de resíduos da mineração, métodos mais sustentáveis de deposição e monitoramento e controle de riscos ambientais e de barragens.

O edital está aberto a empresas brasileiras e instituições científicas tecnológicas (ICTs) que queiram formalizar parcerias em projetos de empresas proponentes de planos de negócio, cujo valor mínimo alcança R$ 5 milhões. Os projetos têm prazo de execução de até 60 meses e deverão ser desenvolvidos no país. A previsão é que os planos de negócios comecem a ser apresentados em 1º de setembro próximo.

Por Agência Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir