Economia

Profissionais Liberais investem para diversificação para espantar a crise

Profissionais Liberais Amazonenses bem resolvidos em sua áreas de formação, buscam investir em um segundo negócio, para espantar a crise. foto: Ione Moreno

Profissionais Liberais Amazonenses bem resolvidos em sua áreas de formação, buscam investir em um segundo negócio, para espantar a crise. foto: Ione Moreno

Em meio à turbulência financeira, profissionais bem resolvidos em suas áreas apostam na diversificação para espantar a crise econômica. Além do retorno no orçamento, as pessoas de visão empreendedora afirmam estar realizadas com a escolha de investir em uma nova alternativa de renda.

O dentista Rafael Carvalho e Silva, que há 11 anos trabalha na profissão, nunca imaginou trabalhar em um segmento diferente do qual estava acostumado. Ele teve a ideia de comprar uma franquia de paleteria (picolé mexicano) quando estava viajando em família. “Observamos o sucesso das paletas lá fora. Como gosto de sorvete, percebi que aquele produto era diferente. Fui atrás de uma paleteria para trazer a Manaus. Após experimentar pelo Brasil inteiro, compramos uma franquia, e depois, compramos a fábrica. Hoje, a ‘Los Gelados’ está sendo um sucesso”, contou o dentista.

Rafael, que também é professor universitário, explica que consegue conciliar as três profissões. “Eu trabalho praticamente 24 horas por dia. Sou dentista, tenho um consultório, também sou professor, e é muita correria. Mas é um trabalho extremamente prazeroso”, afirma Rafael, ao ressaltar que no futuro pretende continuar com as três profissões, que segundo ele não é difícil de conciliar.

Apesar da correria que Rafael afirma ter com as três profissões, ele conta que o trabalho com o novo empreendimento é prazeroso e está trazendo um retorno financeiro muito bom com as três lojas existentes na franquia. “Meu carro-chefe é o consultório, mas com as paletas o plus no orçamento é de 20%”, observou.

 

Paletas

A iniciativa do jovem dentista contagiou os amigos, que após influência de Rafael, e pedidos insistentes, aderiram à ideia de ter outro negócio.

Com isso, a paleteria ganhou força, e se multiplica na cidade. É o que explica a engenheira civil Caroline Façanha, que há 10 anos trabalhava na mesma profissão, mas há pouco tempo aderiu à ideia de trabalhar com a novidade proposta pelo amigo dentista.

“O Rafael abriu a loja no Vieiralves e também a fábrica. Ele nos convenceu a comprar e entramos nessa juntos com produtos diferenciados”, explica, ao destacar que há três meses iniciou o novo empreendimento.

A engenheira civil contou que a crise econômica fez com que surgissem dificuldades no ramo da engenharia. Desta forma, explica, ela decidiu entrar na franquia na qual atua junto com o irmão, Mário Amom.

“Ele fica à frente, e eu me dedico a maior parte do tempo à noite. O retorno é bom. As pessoas vão atrás, não é barato, mas é gostoso”, observa a engenheira.

Ela afirma que o novo empreendimento é prazeroso e traz um bom retorno financeiro. Mas ressalta, a prioridade é a engenharia. “Eu amo o que eu faço, mas espero que dê muito certo por conta deles, minha família. Quero vê-los bem”, afirma.

 

Exemplo

Caroline conta que o exemplo de arriscar em outro empreendimento veio do marido que era bancário, mas agora tem uma empresa de modulados e lavagem a seco. De acordo com ela, há 1 ano e meio ele decidiu seguir outra profissão, pois achou bastante gratificante e obteve uma maior realização.

 

Por Asafe Augusto

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir