Sem categoria

Professores protestam e cobram cumprimento de reposições salariais por estado e município

A diretora da Asprom informou que o o ato foi para cobrar o cumprimento da data base dos professores- fotos: Marcio Melo

A diretora da Asprom informou que o o ato foi para cobrar o cumprimento da data base dos professores- fotos: Marcio Melo

Professores das redes estadual e municipal aproveitaram a data comemorativa do Dia dos Professores para fazer uma manifestação com o intuito de chamar a atenção das autoridades. O ato ocorreu durante a manhã desta quinta-feira (15), na avenida Sete de Setembro, Centro, próximo à praça Heliodoro Balbi. A categoria cobra melhores condições de trabalho, reajuste salarial, além de reajuste nos horários de trabalho pedagógico (HTP).

Os manifestantes chegaram a interditar os cruzamentos das avenidas Sete de Setembro e Getúlio Vargas durante 15 minutos, provocando congestionamento no trânsito, conforme o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans).

A diretora da Associação Movimentação de Lutas dos Professores de Manaus (Asprom), Helma Sampaio, informou que o ato foi  realizado para cobrar o cumprimento da data base dos professores pela Secretaria Estadual de Educação (Seduc), cujo  reajuste dos  trabalhadores da educação  deveria ter sido publicado em março deste ano e ainda não foi cumprido.  Eles também exigem que o município faça um   reajuste  9,5%, percentual estabelecido para 2015. De acordo com Helma, dos 9,5% acordados, somente 4% foi repassado aos professores, até o momento.

“O sucateamento das escolas e superlotação das salas de aulas também fazem parte de nossas reivindicações”, ressaltou Helma.

Presente no ato, o vereador e professor Bibiano (PT) também reclamou dos baixos salários, da infraestrutura inadequada de trabalho, da insegurança no ambiente escolar, da falta de incentivo à capacitação e outros problemas enfrentados pela classe de professores da rede pública municipal de ensino.

Para o parlamentar, uma das provas do descaso do poder público para com os professores é o não cumprimento do reajuste de 9,5% por parte da prefeitura, concedido à categoria. “Nós reivindicamos reajuste de 20% e a proposta não foi aprovada. Deram um reajuste de 9,5% que, até agora, não se concretizou. Apenas 4% desse percentual foi repassado aos professores, enquanto os outros 5,5% continuam na promessa”, pontuou.

Durante ato, os professores chegaram a interditar os cruzamentos das avenidas Sete de Setembro e Getúlio Vargas

Durante ato, os professores chegaram a interditar os cruzamentos das avenidas Sete de Setembro e Getúlio Vargas

Precariedade da infraestrutura de grande parte das escolas, prédios com rachaduras, fiação elétrica antiga, sistema de esgoto com problemas, fossas à céu aberto, ar-condicionado sem manutenção e outros foram os questionamentos apontados pelo vereador.

Em nota, a Seduc informou que o governador do Estado, José Melo irá realizar na próxima quinta-feira (22) uma reunião com os representantes da categoria para apresentar um estudo de reajuste salarial elaborado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Ainda em nota, a assessoria disse que a falta de material nas escolas são “situações particulares” e que se faz necessário ser apontado em qual instituição está ocorrendo carências dos produtos para que os problemas sejam solucionadas.

Já a Secretaria Municipal de Educação (Semed) informou, por meio de nota, que “a prefeitura de Manaus sempre tem buscado a valorização dos educadores e oferecido reajuste salarial acima da inflação. Em junho deste ano, o prefeito Arthur Virgílio Neto anunciou o reajuste de 9,5% para os professores da rede municipal de ensino, sendo 4% pagos em julho e os outros 5,5% será pago na folha deste mês de outubro, além do aumento de 10% no auxílio-alimentação a partir de janeiro 2016”.

A Semed também destacou que “realizou concurso público, em 2014, com mais de 2 mil vagas e também já estuda a viabilidade de realizar novo certame, para contemplar os cargos que não constaram no último. Atualmente, mais de 12 mil professores atuam nas 501 escolas municipais de Manaus”.

Matéria atualizada às 15h.

Por Conceição Melquíades

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir