Dia a dia

Professor é morto a facadas dentro da própria casa, na Compensa

Amim era coordenador-adjunto Pedagógico do Ensino Fundamental Anos Finas da CDE 4 da capital - foto: divulgacão

Amim era coordenador-adjunto Pedagógico do Ensino Fundamental Anos Finas da CDE 4 da capital – foto: divulgacão

Vítima de um latrocínio (roubo seguido de morte), o professor e coordenador da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Amim Costa Haddad, 50, morreu após ser esfaqueado no peito, braço e um dos olhos dentro da própria casa, por dois homens desconhecidos.

A equipe de investigação da Delegacia Especializada de Homicídios e Sequestros (DEHS) informou que foi levada somente a quantia de R$ 1,7 mil. Amigos informaram que a vítima era homossexual.

O crime ocorreu na rua T7, quadra F, bairro Compensa 3, Zona Oeste, por volta das 3h de ontem (7). Amim chegou a ser socorrido por uma inquilina, levado ao Serviço de Pronto–Atendimento (SPA) Joventina Dias, Zona Oeste, e transferido ao pronto-socorro 28 de Agosto, Zona Centro-Sul, onde morreu sete horas após receber os primeiros atendimentos.

De acordo com uma inquilina de 23 anos, a vítima gritou pedindo ajuda e relatava ter sido vítima de facadas por dois homens. “Ele gritou e disse que havia sido esfaqueado e que estava sangrando bastante. Pedimos ajuda de um inquilino que o carregou e o colocou dentro do carro. Mesmo após o fato, ligamos para a polícia mais ninguém atendeu. Ele estava bem consciente e relatou o fato. Não vimos nenhum dos suspeitos”, informou a inquilina.

No Instituto Médico Legal (IML), entre familiares e amigos de Amim, consternados com a morte de maneira brutal do professor, estava a Coordenadora do Distrito de Educação 4 (CDE 4), Angélica Matilde da Cruz Santos, chefe do professor. Ela afirmou que o colega de trabalho era uma pessoa querida por todos que o cercavam e lamentou o ocorrido. “Nós não sabemos de muita coisa, somente após ele dar entrada na unidade de saúde. Ele teve algumas complicações e não resistiu”, disse.

Uma amiga do professor relatou que a vítima era homossexual e tinha alguns relacionamentos, mas descartou a possibilidade de que o autor do crime tivesse algum envolvimento com Amim. “Amim era uma pessoa muito feliz e sorridente. Sempre ajudava as pessoas e era querido por todos. Ele tinha os relacionamentos dele e sempre foi bem discreto. Se ele levava (os parceiros) até a casa dele, não sabemos, mas não suspeitamos que isso tenha qualquer ligação”, destacou.

Amim era coordenador-adjunto Pedagógico do Ensino Fundamental Anos Finas da CDE 4 da capital. Até o fechamento desta edição, os amigos e familiares não tinham informado onde seriam o velório e sepultamento da vítima.

Vizinhos de Amim informaram que dois estabelecimentos comerciais localizados próximos à residência da vítima possuem sistema de câmeras de segurança e que as imagens podem ajudar na identificação dos assassinos.

O caso foi registrado no 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e será investigado pela Delegacia Especializada de Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd), Zona Centro-Oeste.

Por Thaís Gama
Do Agora

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir