Esportes

Procurador diz que pai de Neymar foi mentor de fraudes

São investigadas empresas criadas para pagar menos impostos dos vencimentos e contratos de publicidade do atleta quando atuava no Santos, de 2009 a 2013 - foto: divulgação

São investigadas empresas criadas para pagar menos impostos dos vencimentos e contratos de publicidade do atleta quando atuava no Santos, de 2009 a 2013 – foto: divulgação

O Ministério Público Federal declarou nesta terça-feira (2) que o pai de Neymar foi o “principal mentor e articulador de uma série de fraudes contratuais para o uso do direito de imagem de Neymar” e “a conduta do jogador, com a participação dos demais denunciados, gerou prejuízos milionários aos cofres públicos”.

Com a quebra do segredo de justiça do processo, o MPF se pronunciou pela primeira vez, nesta terça (2), sobre a acusação de sonegação fiscal e falsidade ideológica contra Neymar, Neymar pai e os cartolas do Barcelona Sandro Rossel e Jose Maria Bartomeu – processo que corre na justiça brasileira, diferente do que está na Espanha e que Neymar e seu pai prestaram depoimento nesta terça (2).

Neymar e seu pai negam as acusações

São investigadas empresas criadas para, segundo o MPF, pagar menos impostos dos vencimentos e contratos de publicidade do atleta quando atuava no Santos, de 2009 a 2013.

“A prestação de serviços está vinculada ao desempenho personalíssimo do atleta, e a abertura da sociedade teve como único objetivo a redução da carga tributária incidente sobre os rendimentos auferidos pelo atleta, já que a empresa não possui atividade econômica”, escreveu o procurador da República Thiago Lacerda Nobre, autor da denúncia.

“Todas as ‘suas receitas’ são provenientes dos serviços prestados pelo atleta, e a pequena estrutura operacional da empresa não foi utilizada na prestação de serviços.”

A investigação aponta que as empresas criadas não tinham estrutura para gerenciar a carreira do atleta, pois contavam com apenas dois funcionários, ambos seguranças.

Por aqui também se investiga, como na Espanha, os valores do Barcelona para contratar o jogador.

“A negociação ao Barcelona foi globalizada, única negociação. Todavia, os valores a receber foram ‘fatiados’ em diversas rubricas: ‘empréstimo’, ‘indenização’, salários e prêmios, direitos de imagem, ‘scouting’ e agência comercial”, escreveu Nobre.

Num desses contratos, a N&N Consultoria, uma das empresas de Neymar, foi contratada pelo Barcelona para observar novos jogadores por 2 milhões de euros. Segundo a promotoria, o serviço se limitou a “meras compilações de notícias da internet a respeito de atletas, sem o nível de elaboração compatível com o preço cobrado”.

O MPF explicou que, por enquanto, os dirigentes do Santos aparecem como testemunhas, mas novas denúncias devem ser feitas no decorrer da investigação.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir