Sem categoria

Princesa do Solimões tentará negociar multa com TJD-AM

Tubarão foi multado em R$ 18 mil por conta da briga na final do Amazonense de 2014, mas diretoria afirma que recorrerá – foto: divulgação

Tubarão foi multado em R$ 18 mil por conta da briga na final do Amazonense de 2014, mas diretoria afirma que recorrerá – foto: divulgação

A diretoria do Princesa do Solimões informou que pretende pagar a multa de R$ 18 mil imposta pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Amazonas (TJD-AM). A punição é pelo envolvimento de jogadores e comissão técnica em briga com atletas do Nacional, na final do Campeonato Amazonense, no dia 24 de Maio de 2014. Antes, porém, os dirigentes do Tubarão do Norte pretendem conversar com o presidente do TJD, Edson Rosas, para tentar um acordo.

“Só vamos nos pronunciar depois de uma conversa com o presidente (Edson Rosas), vamos tentar um acordo. O Princesa não vai jogar a toalha, vamos disputar a Copa do Brasil, não tenho a menor dúvida disso”, afirmou o diretor de futebol do Alvirrubro de Manacapuru Raphael Maddy.

Na época, o TJD-AM julgou o caso e puniu seis jogadores do Tubarão. O clube de Manacapuru (a 84 quilômetros da capital) está suspenso da disputa de partidas oficiais de futebol promovidas pela Federação Amazonense (FAF). Caso não quite a dívida, o clube pode ser impedido até de disputar competições da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), afirmou Edson Rosas.

O time amazonense tem a Chapecoense-SC como adversário na primeira fase da Copa do Brasil, deste ano. A punição foi aplicada pela 1ª comissão disciplinar do TJD-AM. Rosas informou que a multa, que anteriormente era de R$ 10 mil, foi ampliada porque o clube não quitou o débito inicial.

“Depois de um primeiro julgamento, quando o Princesa recorreu e obteve uma liminar, em novembro de 2015, houve um novo julgamento que reafirmou a punição ao clube e aos jogadores envolvidos na confusão. Se somadas as multas, o valor chega a R$ 18 mil”, explicou Rosas. O valor pode ser parcelado. “O próprio código estabelece que pode parcelar o pagamento. Dá uma entrada e parcela o restante. Existe sim o parcelamento. Inclusive tem um clube, o ASA (de Alagoas), que foi apenado, ele pediu o parcelamento, e foi parcelado”, explicou.

Sobre a decisão do TJD-AM, o diretor técnico da Federação Amazonense de Futebol (FAF), Ivan Guimarães, descartou qualquer mudança de representante amazonense na Copa do Brasil, por enquanto.

“O clube punido acertará as contas com a justiça desportiva mais cedo ou mais tarde, e disputará tranquilamente a Copa do Brasil. No entanto, caso o imbróglio não seja resolvido, o Fast, segundo colocado geral do Campeonato Amazonense de 2015, é o substituto imediato do time do interior caso o Princesa não consiga reverter a situação”, explicou.

Por Lindivan Vilaça

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir