Dia a dia

Primeiro LIRAa do ano inicia nesta segunda-feira em Manaus

Manaus sogre uma epidemia por doenças infecciosas virais, em especial às de transmissão pelo mosquito Aedes aegypti - foto: reprodução

Manaus sogre uma epidemia por doenças infecciosas virais, em especial às de transmissão pelo mosquito Aedes aegypti – foto: reprodução

O primeiro Levantamento Rápido de Índice de Infestação para Aedes aegypti (LIRAa) deste ano começa a ser realizado nesta segunda-feira (18) pela Prefeitura de Manaus. Serão vistoriados 27.100 imóveis em Manaus. O último LIRAa do ano passado, realizado em novembro, apontou que Manaus manteve o médio risco para a transmissão de dengue, zika vírus e febre chikungunya, com um índice de infestação predial de 1,4.

De acordo com o Ministério da Saúde, apresentam médio risco para as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, os municípios que têm índice entre 1,0 e 3,9. Abaixo de 1,0, é considerado como de baixo risco e a partir de 4, como sendo de alto risco.

O secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão, informou que o LIRAa é realizado periodicamente, quando agentes de endemias fazem a vistoria de imóveis selecionados por amostragem em todos os bairros de Manaus, identificando e eliminando os criadouros do Aedes aegypti, verificando o grau de infestação do mosquito e realizando ações de orientação aos moradores sobre os cuidados necessários ao combate e à transmissão das doenças.

O levantamento permite que o município possa identificar os bairros onde há maior concentração de focos de reprodução do mosquito, além de classificar os principais tipos de criadouros existentes. “Por meio dessas informações é possível elaborar as estratégias de atuação de forma mais eficiente e verificar se as ações de prevenção que já foram realizadas estão tendo resultados positivos”, explica Homero de Miranda Leão Neto.

O primeiro LIRAa de 2016 será executado por 301 profissionais, entre agentes de endemias, supervisores  e motoristas. A previsão é de que os trabalhos sejam concluídos em 15 dias de trabalho. “Com o início do período de chuvas em Manaus, o LIRAa poderá identificar situações que não foram encontradas no levantamento realizado no mês de novembro do ano passado. E as novas informações irão direcionar as medidas que precisam ser tomadas para o controle do Aedes aegypti”, destaca Homero de Miranda Leão.

Paralelamente à execução do LIRAa, a Semsa continuará a intensificação das ações de combate ao mosquito transmissor da dengue, da chikungunya e do zika vírus, com ações contínuas de visitas casa a casa realizadas pelos agentes de endemias e agentes comunitários de saúde, reforçando a implantação da estratégia ‘10 minutos contra a dengue’, que prevê a verificação de uma lista de cuidados em apenas dez minutos,  mantendo as ações de notificação de casos suspeitos com investigação e bloqueio químico (fumacê) em uma área de 300 metros nos locais onde houve registro de casos suspeitos, e verificando e eliminando focos do mosquito, além de fortalecer as ações conjuntas de vigilância ambiental, epidemiológica e laboratorial.

“Os técnicos responsáveis pela vigilância ambiental e epidemiológica e pelas ações laboratoriais, na sede da Semsa e nos Distritos de Saúde, também estão reforçando os ajustes de processo de trabalho para coordenação e execução das ações de campo, que estão sendo desenvolvidas. É um esforço conjunto para garantir o controle das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti”, informa a diretora do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica da Semsa, Angélica Tavares.

 

Com informações assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir