Sem categoria

Primeiro caso de microcefalia causada pelo Zika Vírus é confirmado em Manaus

  A mãe, de 18 anos, adquiriu a doença em Boa Vista (Roraima), aos dois meses de gravidez e chegou à capital amazonense com cinco meses - foto: divulgação

A mãe, de 18 anos, adquiriu a doença em Boa Vista (Roraima), aos dois meses de gravidez e chegou à capital amazonense com cinco meses – foto: divulgação

Um bebê que nasceu no dia 10 de abril, na Maternidade Ana Braga, com perímetro cefálico de 28 centímetros, é o primeiro caso confirmado de microcefalia transmitida por Zika Vírus em Manaus. A mãe, de 18 anos, adquiriu a doença em Boa Vista (Roraima), aos dois meses de gravidez e chegou à capital amazonense com cinco meses.

O anúncio foi feito nesta terça-feira (12), pelo secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão Neto, que garantiu que a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) dará todo o apoio e acompanhamento tanto para a mãe quanto para a criança nas unidades de saúde.

“Nossa equipe da Vigilância Epidemiológica está acompanhando o caso e dando a assistência necessária. A mãe já foi encaminhada para consultas pós-parto no nosso Serviço de Referência Obstétrica de Manaus, na Unidade Básica de Saúde Nilton Lins, com equipes multiprofissionais de psicólogos, assistentes sociais e médicos, que farão o acompanhamento durante o puerpério, ou seja, até 45 dias após o parto. Depois disso, ela será atendida na unidade de Saúde mais próxima a sua casa”, ressaltou Homero.

Segundo a diretora do Departamento de Vigilância Epidemiológica e Ambiental (DVAE) da Semsa, Angélica Tavares, a mãe da criança relatou que está mudando de residência para a Comunidade Nova Vitória, no bairro Cidade Nova, zona Norte, e a criança passará a ser atendida pelos pediatras e equipe profissionais do Ambulatório de Seguimento do Bebê de Alto Risco indicado pela Semsa.

“Em geral, todo bebê que não saiu de alta hospitalar dentro de 24 ou 48 horas e que ficou em tratamento por qualquer que seja o motivo, sempre é encaminhado ao Ambulatório de Seguimento e agora pela primeira vez vamos atender um caso de microcefalia causada pelo Zika Vírus. A criança terá todo o apoio e acompanhamento com consultas com o pediatra e exames necessários para este caso”, ressaltou Angélica Tavares.

Os ambulatórios realizam entre 6 e 18 consultas por mês, nas nove unidades disponíveis – duas na zona Leste, as UBSs Amazonas Palhano e Geraldo Magela; três na zona Norte, UBSs Armando Mendes, Áugias Gadelha e Sálvio Belota; duas na Oeste, UBSs Deodato de Miranda Leão e Leonor de Freitas; e duas na zona Sul,  UBSs São Francisco e Lourenço Borghi.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir