Dia a dia

Presos suspeitos de esquartejar e distribuir corpo de homem em malas próximo a cemitério São João Batista

As malas As duas malas com as partes do corpo foram encontradas nos dias 8 e 9 deste mês nas proximidades do cemiterio São João Batista - foto: divulgação

As malas foram encontradas nos dias 8 e 9 deste mês nas proximidades do cemitério São João Batista – foto: divulgação

Pelo menos quatro pessoas foram presas nesta segunda-feira (12), suspeitas de participar do esquartejamento de um homem – até o momento não identificado -, que teve as partes do corpo encontradas em duas malas, na semana passada, nas proximidades do cemitério São João Batista, Zona Centro-Sul de Manaus.

De acordo com o delegado Ivo Martins, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), o primeiro suspeito foi identificado na sexta-feira (9), após a segunda mala ser encontrada.

“Estamos na iminência de resolver esse caso. Na sexta-feira, conseguimos identificar o cidadão que deixou a segunda mala atrás do cemitério. No sábado, solicitamos da Justiça a prisão preventiva dele e, na manhã de ontem, conseguimos prendê-lo no Centro da cidade. No decorrer do dia, também conseguimos prender outros três suspeitos. Agora estamos aguardando alguns procedimentos judicias para poder realizar a apresentação desses cidadãos”, disse Ivo Martins.

Ainda conforme o delegado, durante o decorrer das investigações foi descoberta toda a trama criminosa e a motivação do crime.

“Descobrimos a motivação e o lugar onde o homem foi morto e esquartejado. A perícia esteve no local e coletou os vestígios de sangue”, concluiu o delegado.

Uma coletiva de imprensa deverá ser realizada na manhã desta quarta-feira (14) na sede da especializada, onde serão repassados mais detalhes sobre o caso.

O crime
As duas malas com as partes do corpo foram encontradas nos dias 8 e 9 deste mês. A primeira foi encontrada pelo vendedor ambulante João Pereira, 56, na calçada do cemitério São João Batista. Dentro da mala havia dois sacos de lixo, onde estavam o tronco de as coxas.

No dia seguinte, um homem que não teve o nome divulgado encontrou a segunda mala, na rua Belém, atrás do cemitério, onde estava os braços e a cabeça.

Os restos mortais estão na sede do Instituto Médico legal (IML), na Zona Norte da capital.

Por equipe EM TEMPO Online

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir