Dia a dia

Preso último envolvido em latrocínio de advogado ocorrido na Zona Sul de Manaus

 O infrator estava foragido do CDP, onde cumpria pena no semiaberto por um roubo cometido em 2013 – foto: divulgação/PC


O infrator estava foragido do CDP, onde cumpria pena no semiaberto por um roubo cometido em 2013 – foto: divulgação/PC

A Polícia Civil do Amazonas apresentou na manhã desta terça-feira (6) Carlos Alberto Ferreira da Silva, 30, conhecido como ‘Beto’, como o terceiro envolvido no latrocínio do advogado Gilson Guimarães Lage, ocorrido no dia 8 de julho deste ano, na avenida Ayrão, bairro Presidente Vargas, Zona Sul de Manaus. A vítima tinha 87 anos.

De acordo com Adriano Felix, titular da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd), Carlos foi preso na última sexta-feira (2), por volta das 6h, na avenida Álvaro Maia, no mesmo bairro onde o crime ocorreu. O infrator, que já foi indiciado pelo latrocínio do advogado, estava foragido do Centro de Detenção Provisória (CDP), onde cumpria pena no regime semiaberto por um roubo cometido em 2013.

Conforme a autoridade policial, Carlos é o terceiro indivíduo a ser preso pelo envolvimento no latrocínio do advogado. Os comparsas dele, Jonathas dos Santos Fonseca, 27, e Rafael Queiroz dos Santos, 28, foram presos pela equipe de investigação da especializada, respectivamente, nos dias 12 de julho e 10 de agosto deste ano. Com Jonathas foram apreendidos 10 relógios roubados da vítima.

“Rafael era conhecido de uma jovem que trabalhou como diarista na casa de Gilson e teria pedido a ela para facilitar a entrada dele e dos outros dois comparsas no imóvel da vítima, pedido este não atendido pela jovem. Insatisfeitos, no dia do crime, por volta das 21h30, os três teriam ido até a residência do advogado com o intuito de roubá-lo. No momento em que abriu a porta, a vítima reconheceu Rafael, pois o infrator já tinha ido ao local em outras ocasiões para buscar a diarista”, relembrou o titular da Derfd.

Adriano Felix afirmou que o trio invadiu a casa de Gilson e imobilizou o idoso. Gilson tentou empurrar os autores e acabou sendo amarrado por Carlos com o pano de uma rede e Rafael teria o enforcado, ocasião em que foi a óbito. “Os três infratores empreenderam fuga do local, levando cerca de R$ 1.600 mil, em espécie, e dez relógios da vítima, que foram, posteriormente, encontrados com Jonathas no momento da prisão dele e reconhecidos pelos familiares de Gilson”, explicou a autoridade policial.

Carlos foi indiciado por latrocínio. Ao término dos procedimentos cabíveis no prédio da especializada ele será conduzido à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde irá permanecer à disposição da Justiça.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir