Dia a dia

Preso na Zona Norte ex-agente penitenciário suspeito de vender granadas e algemas via Facebook

O homem foi conduzido ao 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP) - foto: divulgação

O homem foi conduzido ao 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP) – foto: divulgação

O ex-agente penitenciário Luiz Eduardo de Souza da Silva, 24, foi preso com uma granada de mão, dinheiro falso e algemas na noite dessa quarta-feira (21), na rua 27 do bairro Cidade Nova, Zona Norte da capital. O homem é suspeito de usar o Facebook para anunciar a venda dos produtos.

De acordo com informações de policiais militares da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam), o homem foi preso após várias denúncias anônimas. O suspeito usava a página da rede social para oferecer as granadas que são se uso restrito da Polícia Militar e das Forças Armadas pela quantia de R$ R$ 100, além de algemas.

Durante a abordagem, com ele foi encontrada a quantia de R$ 400 em cédulas falsificadas, uma granada de mão e um par de algemas, além de uma carteira e um crachá de agente penitenciário da antiga Secretaria de Segurança, Justiça e Direitos Humanos (Sejus).

O tenente Cleitman Coelho, do Comando de Policiamento Especializado (CPE), informou que o homem estava sendo investigado há uma semana. Desde então, um dos polícias da equipe de investigação se passou por comprador e marcou o encontro com o suspeito, onde foi realizada a prisão em flagrante.

Em depoimento, Luiz Eduardo falou que não sabia da proibição da comercialização dos produtos.

Em nota, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informou que o suspeito trabalhou como agente penitenciário por uma empresa terceirizada, no ano de 2011. À época, ele prestava serviço no Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), tendo permanecido por apenas 11 meses na função.

Luiz Eduardo, atualmente, não possui nenhum vínculo empregatício em unidades prisionais da capital ou Estado.

O homem foi conduzido ao 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde foram tomadas as medidas cabíveis. Até o final do dia, ele será encaminhado ao um dos presídios da capital.

Por Mara Magalhães

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir