Política

Presidente do TRE vai analisar pedido de Eduardo Braga

Socorro Guedes prevê que o cadastramento em Manaus deve ser concluído até fevereiro do ano que vem – foto: Luis Henrique Oliveira

Socorro Guedes promete que vai analisar pedido do Ministro Eduardo Braga– foto: Luis Henrique Oliveira

Sem indicar quando deve divulgar seu despacho com a decisão sobre o pedido de execução imediata do acórdão, impetrado anteontem pela defesa do ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga (PMDB) junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), desembargadora Socorro Guedes limitou-se a afirmar que vai analisar o pedido. Braga quer o afastamento imediato do governador José Melo (Pros) do cargo e, consequentemente, sua posse na função.

Ao ser indagada sobre a legalidade do pedido, a desembargadora explicou que, com o resultado do julgamento em que cassou o mandato de Melo, a outra parte (Braga) teria o direito de requerer a execução do acórdão. “Eu vou analisar os autos e não quero antecipar minha manifestação antes disso”, frisou Socorro Guedes.

O advogado de Braga, Marcus Vinicius Coelho, entrou com um pedido, requerendo de forma imediata a execução do acórdão proferido no julgamento da representação – em que a defesa de Melo e Henrique tentava reverter a cassação do mandato de ambos – no dia 9 deste mês.

Em 25 de janeiro deste ano, o governador e o vice tiveram seus mandatos cassados na corte do TRE e cuja decisão foi mantida no início do mês, acusados de captação ilícita de sufrágio (compra de votos).  O segundo colocado na disputa ao governo nas eleições de 2014 foi Eduardo Braga e sua vice, a atual superintendente da Suframa, Rebecca Garcia (PP).

O EM TEMPO procurou o advogado de Melo, Yuri Dantas, que questionou o pedido. Segundo ele, não cabe o afastamento do governador do comando da administração do Estado.

Já a defesa de Braga afirma que aguarda a decisão da magistrada, uma vez que a desembargadora não tem prazo para emitir seu parecer. “Vamos aguardar”, disse o advogado Daniel Nogueira.

Iniciativa ecoa na Assembleia

O pedido de afastamento imediato de Melo do governo gerou ataques e contra-ataques entre governistas e oposição, ontem pela manhã na Assembleia Legislativa do Estado (Aleam). Em maior número, a bancada do PMDB defendeu a decisão de Braga. Os aliados de Melo consideram que a solicitação é “choro de derrotado” e que o adversário estaria tentando uma virada no “tapetão”.

Para o líder do PMDB na casa, deputado Vicente Lopes, a Legislação Eleitoral não permite que ninguém ganhe uma eleição com irregularidades. Recente no partido de Braga, Alessandra Campêlo saiu em defesa do ministro e afirmou que o governador já foi cassado. “O que está em discussão é se ele permanece ou não no cargo”.

Para o deputado David Almeida (PSD), líder do governo na Assembleia, não seria interessante Braga deixar o ministério e ainda perder a vaga no Senado, para assumir o governo. Aliado do ministro, Wanderley Dallas rebateu, afirmando que essa era uma decisão de Braga. “Entre o ministério e poder servir o povo do Amazonas, ele vai optar em servir o povo do Amazonas”, enfatizou o parlamentar.

A reportagem tentou entrar em contato com Eduardo Braga, mas até o fechamento desta edição seu número de celular estava desligado.

 

Por Henderson Martins

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir