País

Presidente do Inep defende sistema de correção da redação do Enem

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), José Francisco Soares, disse nesta quinta-feira (14) que o sistema de correção da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é confiável e “completamente equilibrado”. Ele aprovou o sistema ao ser questionado sobre o caso de um estudante que escreveu uma brincadeira no texto e não teve a prova anulada.

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), José Francisco Soares, divulga a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014 (Wilson Dias/Agência Brasil)

Para o presidente do Inep), o sistema de correção de provas é equilibradoWilson Dias/Arquivo/Agência Brasil

Soares leu um trecho da redação de um candidato que inseriu “porque é meu niver” no fim de um parágrafo em que defende que a propaganda infantil desperta o desejo das crianças por produtos.

“A frase não está descontextualizada, nao pode ser obtida como se fosse descontextualidada”, afirmou o presidente do Inep. O tema da redação foi Publicidade Infantil em Questão no Brasil.

As regras de redação ficaram mais rígidas em 2013, quando, em 2012, estudantes escreveram hinos de times de futebol e até mesmo receita de macarrão na prova. Desde então, inserir propositadamente trechos desconectados do tema é motivo para anulação da redação.

Copiar trechos da prova, não atender ao tipo textual pedido, texto que fere os direitos humanos e fuga ao tema também são motivos para tirar zero na prova.

“Nosso sistema está completamente equilibrado. São dois corretores. Se há discrepância, vai para um terceiro. Os corretores são acompanhados por um conjunto de indicadores todo o tempo. Temos um painel que a gente sabe como cada professor está se comportando”, informou Soares. “O que está ocorrendo é que as pessoas estão sugerindo parte desconectada quando na verdade não é”.

O espelho da redação do Enem de 2014 está disponível desde o dia 8 na internet.

Hoje (14), o Ministério da Educação (MEC) anunciou as regras das provas do Enem 2015. As de redação estão mantidas. As provas serão corrigidas por dois corretores. Caso haja diferença de 100 pontos na nota final, a prova será conduzida a um terceiro corretor. A nota vai até mil. Os estudantes têm acesso à correção, mas apenas para fins pedagógicos. Eles não podem entrar com recurso pedindo revisão da pontuação.

Os candidatos serão avaliados com as mesmas cinco competências do ano passado: domínio da norma formal da língua portuguesa, interpretação de informações, opiniões, argumentos e defesa de um ponto de vista.

O Enem 2015 será nos dias 24 e 25 de outubro. A expectativa é de 9 milhões de inscrições. A nota do Enem pode ser usada para participar de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que disponibiliza vagas no ensino superior público;  Programa Universidade para Todos (ProUni), que oferece bolsas em instituições privadas; e Sistema de Seleção Unificada do Ensino Técnico e Profissional (Sisutec), que garante vagas gratuitas em cursos técnicos.

O Enem também é pré-requisito para firmar contratos pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), obter bolsas de intercâmbio pelo Programa Ciência sem Fronteiras e certificação do ensino médio.

Por Agência Brasil

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir