Esportes

Presidente do Corinthians nega ida de Tite para a seleção

Em caso de uma saída de Tite para a seleção, Roberto de Andrade afirmou que 'todos sairiam perdendo - foto: divulgação

Em caso de uma saída de Tite para a seleção, Roberto de Andrade afirmou que ‘todos sairiam perdendo – foto: divulgação

A especulação em torno do futuro de Tite continua sendo assunto no Corinthians. Nesta sexta-feira (8), o presidente do clube, Roberto de Andrade, negou que o treinador sairá para substituir Dunga no comando da seleção brasileira.

“Ele já falou, eu já falei, e todo mundo continua insistindo como se fosse mudar e o presidente fosse resolver. É ele (Tite) que resolve, ele já disse que não tem mais nada pra falar, ele fica no Corinthians”, afirmou, em entrevista coletiva. “Sou mais corintiano do que patriota. Não gostaria de ver o Tite saindo para a Seleção.”

Em caso de uma saída de Tite para a seleção, Roberto de Andrade afirmou que ‘todos sairiam perdendo. “Só não sei te falar o quanto, porque você pode trazer outro profissional, cada um trabalha de uma forma, não significa que só o Tite chega ao título, outros poderiam chegar, mas neste momento nem penso nesta possibilidade, porque ela já foi vetada.”

O Corinthians volta a campo neste domingo (10), pela última rodada da primeira fase do Campeonato Paulista. Jogando dentro de casa, a equipe de Tite enfrentará o Novorizontino, às 16h (horário de Brasília).

Depois de uma pessoa ter morrido antes da partida entre Corinthians e Palmeiras, no último domingo (3), o governo de São Paulo decidiu que todos os clássicos serão realizados com torcida única. A medida, no entanto, não convenceu Roberto de Andrade.

“Determinação não se discute, se cumpre, e o Corinthians via cumprir como outros clubes irão”, afirmou. “Se isso fosse a solução do problema, eu faria supercontente, mas tenho quase certeza que não será. Não é proibindo que as pessoas venham ao jogo que vai resolver o problema, porque sabemos que não é dentro do estádio, é nos arredores, quem garante que em dia de jogo esses torcedores não poderão se encontrar em qualquer esquina como domingo passado e isso continuar acontecendo?”, questionou.

“O que precisa ser feito é a penalidade pra isso, tem que punir as pessoas com punições rigorosas, porque isso é um crime. Enquanto isso não for mudado, a solução estará bem longe disso, é muito paliativo falar que torcida única vai resolver”, completou.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir