Sem categoria

Presidente da Câmara de Parintins denuncia invasão

Mesa Diretora do Legislativo instaurou uma auditoria nas contas do Legislativo para identificar gastos -foto:  Tadeu de Souza

Mesa Diretora do Legislativo instaurou uma auditoria nas contas do Legislativo para identificar gastos -foto: Tadeu de Souza

Parintins – A presidente interina da Câmara Municipal de Parintins (369 quilômetros de Manaus), Karine Brito (PHS), registrou um Boletim de Ocorrência na 3ª Delegacia Interativa contra um ex-funcionário do Legislativo, que não teve o nome divulgado, que, por volta das 07 horas da manhã da última terça-feira (19), trajando bermuda e boné, é suspeito de ter invadido o setor de Finanças para retirar documentos da Câmara.

A presidente denunciou o fato da tribuna da casa e comunicou a autoridade policial. O ex-funcionário, ligado ao ex-presidente Everaldo Batista (Pros), teria feito uma ligação telefônica para a presidente para negar as acusações. Ela contou que ele relatou ter ido ao local buscar uma agenda que havia esquecido antes de ter sido exonerado.

“É muito estranho porque ele deveria ter ido no horário de expediente. Nós não vamos permitir esse tipo de comportamento, essa tentativa de retirar documentos ou de querer atrapalhar o trabalho que estamos realizando”, disse a presidente interina do Legislativo.

O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) tomou conhecimento do fato e discutirá quais medidas podem ser tomadas para que a invasão ao prédio da Câmara Municipal seja esclarecida.

“Estamos perplexos com esse fato e acreditamos que isso deva ser muito bem esclarecido para a sociedade civil”, disse a professora Fátima Guedes, integrante do movimento.

Auditoria nas finanças

A Mesa Diretora da Câmara Municipal de Parintins instaurou uma auditoria nas contas do Legislativo devido a ausência de informações e documentos relacionadas à gestão do presidente afastado pela Justiça, Everaldo Batista (Pros).

Karine Brito disse que sua intenção não é prejudicar ninguém, mas tomar conhecimento da real situação que se encontra o setor financeiro da casa. “Preciso saber de tudo, qual o montante das dívidas, para quem estamos devendo e como essas dívidas foram contraídas”, disse.

Segundo ela, atualmente o Poder Legislativo parintinense enfrenta uma situação “muito difícil por conta dos acontecimentos registrados a partir de março quando o juiz Fábio Olinto de Souza determinou o afastamento de dois membros da Câmara”.

“De uma hora para outra me vi à frente da Mesa (Diretora) e como vou responder por esse período junto ao Tribunal de Contas do Estado  (TCE-AM) entendo que tenho de saber de tudo o que foi feito na gestão do presidente Everaldo, por isso, nossos advogados orientaram no sentido de que realizássemos uma auditoria e é isso que estamos fazendo”, disse.

Por Tadeu de Souza

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir