Dia a dia

Presa na Zona Norte mulher que dopava vítimas para roubá-las

Ao menos 30 pessoas foram vítimas de Silvana – foto: divulgação/PC

Ao menos 30 pessoas foram vítimas de Silvana – foto: divulgação/PC

Investigada por diversos roubos na cidade, Silvana Costa, 44, foi presa na tarde desta quinta-feira (11), na casa onde ela morava, situada na rua Louro Gamelo, no bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte da capital.

A prisão foi realizada por volta das 17h, meio da equipe de investigação do 15º Distrito Integrado de Polícia (DIP), comandada pelo delegado titular da unidade policial, Torquato Mozer. Ele explicou que chegaram a ela após rastrearem um aparelho celular roubado pela infratora no dia 3 deste mês.

A vítima, uma conhecida de Silvana, que teve a identidade preservada, procurou os policiais civis do 15º DIP para formalizar a ocorrência. Foi então que as investigações em torno no caso foram iniciadas, segundo Torquato Mozer. Ele afirmou ainda que o aparelho roubado estava com sistema de busca ativo e, por meio de rastreamento, foi possível chegar a um parente de Silvana, que estava em posse do celular.

“Silvana escolhia o alvo, fazia com que ele a levasse para casa e aproveitava a distração da vítima para colocar calmante na bebida da pessoa. Em seguida ela as roubava. Geralmente a mulher usava um medicamento tarja preta, que só pode ser adquirido por meio de prescrição médica”, explicou o delegado.

No decorrer das investigações, os policiais civis do 15º DIP levantaram que, ao menos, 30 pessoas foram vítimas da mulher. Com Silvana foram apreendidos cartões de crédito e aparelhos celulares. A mulher foi indiciada por roubo e, ao término dos procedimentos cabíveis na delegacia será conduzida ao Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), onde irá permanecer à disposição da Justiça.

“Essa forma de subtração também é crime e a pena pode causar reclusão de quatro a dez anos, além de multa. Nossa equipe investiga, ainda, a possível participação de mais pessoas na prática criminosa, uma vez que Silvana utilizava remédios tarja preta para dopar as vítimas”, concluiu o delegado Torquato Mozer.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir