Dia a dia

Prefeitura sanciona lei do Habite-se Simplificado

As casas, que estão em fase de acabamento, terão dois quartos, sala, cozinha e banheiro, além de área externa - foto: divulgação

A aprovação possibilita a regularização, em menos de 90 dias, das edificações, acréscimos e reformas, além de residências com até 200 metros quadrados – foto: divulgação

O projeto de Habite-se Simplificado, que prevê celeridade na regularização de imóveis em situação irregular, construídos antes de novembro de 2002, deu um passo importante com a sanção da Lei 2155/16, que oficializa a desburocratização no processo e regulamenta legislação específica.

A aprovação possibilita a regularização, em menos de 90 dias, das edificações, acréscimos e reformas, além de residências (unifamiliares, comercial tipo 1 e mista) com até 200 metros quadrados e no máximo dois pavimentos, que hoje estão em desacordo com a lei municipal.

A desburocratização do processo terá um impacto positivo para milhares de famílias que atualmente encontram dificuldade na expedição do Habite-se, por uma série de razões, inclusive documentação de propriedade e titularidade.

O Habite-se Simplificado é fruto da regulamentação de dispositivo existente no Plano Diretor. O instrumento foi criado na revisão do plano, feita em 2014, a partir de emendas parlamentares da Câmara Municipal de Manaus (CMM).

Com a lei, se passou a exigir projeto simplificado, contendo planta baixa, cortes, fachadas, cobertura e implantação, além do registro imobiliário ou título definitivo, certidão negativa do IPTU, entre outros laudos técnicos, assegurando condições de segurança, solidez, higiene e habitabilidade.

A medida também lista os casos em que não será concedido o Habite-se Simplificado. Dentre os casos estão os imóveis que se encontram em invasão de área pública, que estejam situados em área ambientalmente protegidas, em área de risco e imóveis que não tenham previsão de vagas de estacionamento ou não atendam ao mínimo previsto na legislação.

Técnicos das áreas de licenciamento e do jurídico do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb) trabalharam na formatação da regulamentação, que também foi pauta de diversas reuniões do Comitê de Desburocratização com o intuito de facilitar o processo da legislação urbanística.

O instrumento de atualização do Plano Diretor foi enviado à Câmara Municipal e agora foi sancionado pelo prefeito.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir