Dia a dia

Prefeitura decreta situação de emergência em Manaus

O CPRM prevê que o Rio Negro deve alcançar a marca máxima de 29,97 metros. - foto: arquivo EM TEMPO

A previsão do órgão é de que o rio atinja a marca de 29,62 metros, e poderá ser a quarta maior cheia registrada na capital – foto: arquivo EM TEMPO

O prefeito Arthur Virgílio Neto assinou na noite desta quarta-feira (20) o decreto declarando situação de emergência em áreas rurais e urbanas de Manaus, durante prazo de 180 dias, devido à enchente do Rio Negro e o alto índice pluviométrico do Rio Solimões.

O decreto, que tem validade de seis meses, foi publicado ainda na edição de ontem do Diário Oficial do Município (DOM). A publicação acompanha o relatório técnico da Secretaria Executiva de Proteção e da Defesa Civil e informa que os órgãos deverão iniciar o Plano Emergencial de Resposta aos Desastres para auxiliar e os afetados nas áreas atingidas e minimizar os impactos causados pela subida das águas.

Ainda de acordo com o documento, os órgãos poderão desapropriados imóveis com risco de desabamento, além de atuar em resgate nos casos de perigo iminente.

Conforme a Defesa Civil, aproximadamente 12 comunidades rurais serão afetadas pela cheia dos rios e cerca de 15 bairros devem sentir os impactos da enchente.

Segundo o Serviço Geológico do Brasil (CPRM), manhã desta quinta-feira (21) o nível do Rio Negro alcançou 29,04 metros no Porto de Manaus, ultrapassando em dez centímetros a cota mínima de emergência. A previsão do órgão é de que o rio atinja a marca de 29,62 metros, e poderá ser a quarta maior cheia registrada na capital.

Por equipe EM TEMPO Online

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir