Política

Prefeitura de Iranduba tem contas referentes ao ano de 2014 reprovadas pelo TCE

A multa aplicada durante a gestão do ex-prefeito de Iranduba, ultrapassa os R$ 20 milhões - foto: divulgação

A multa aplicada durante a gestão do ex-prefeito de Iranduba ultrapassa os R$ 20 milhões – foto: divulgação

Após o escândalo de corrupção que desviou mais R$56 milhões da prefeitura de Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus), o ex-prefeito Xinaik Medeiros teve as contas referente ao ano de 2014 reprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM), durante votação na manhã desta quarta-feira (25). A multa aplicada passa dos R$ 20 milhões.

De acordo com o relator do processo, Alípio Reis Firmo Filho, na análise das contas foram encontradas várias irregularidades. Do total de votos, quatro foram a favor da reprovação das contas e somente um foi contra, do conselheiro Erico Desterro.

“Primeiro fundamento foi uma denúncia protocolada pelo Conselho de Cidadãos de Iranduba no início deste ano. Estivemos no município, fizemos diversos levantamentos e já identificamos inúmeras irregularidades, fraudes em licitações, desvio de recursos referente a alvará de funcionamento, entre outros”, explicou o relator.

Ainda segundo Alípio Filho,   após a denúncia, uma inspeção ordinária  foi realizada para avaliar as contas do município. “Acompanhamos os trabalhos e a comissão identificou outras irregularidades. Não havia a  menor possibilidade das contas serem aprovadas”, concluiu.

A votação começou com duas horas de atraso e a  defesa do prefeito afastado acusou o relator, Alípio Filho,  de ser suspeito para conduzir a relatoria por ter um relacionamento amoroso com uma mulher próxima a Xinaik e aos membros da prefeitura. A defesa acusa ainda que a mulher teria passado informações privilegiadas ao conselheiro.

A prefeita em exercício de Iranduba, Madalena de Jesus, estava presente no momento da votação e falou que estava feliz com o resultado. “ A justiça está sendo feita. Quero o melhor para o município de Iranduba. O povo não pode mais ser enganado. Agora falta a cassação. Tenho fé que vamos conseguir”, disse a prefeita.

Operações

As irregularidades em licitações e um esquema de desvio de verbas públicas em Iranduba foram alvos de duas operações. A primeira operação realizada, do Ministério Público Estadual (MPE),  ocasionou  na prisão de Xinaik Medeiros e de outros secretários, que são suspeitos de desviarem mais R$ 56 milhões em recursos públicos.

A segunda a operação foi deflagrada pela Polícia Federal no dia 16 deste mês, e prendeu sete pessoas, entre secretários, vereadores e funcionários comissionados da prefeitura de Iranduba sob suspeita de desvio de verbas do transporte público.

Conforme o MPE, Xinaik Medeiros é o chefe de uma organização criminosa composta por vereadores, secretários municipais, funcionários públicos municipais e empresários.

Xinaik está preso no Comando de Policiamento Especial (CPE), localizado no bairro Dom Pedro, Zona Oeste da cidade. Já os demais  envolvidos nas operações estão em presídios da capital.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir