Eleições 2016

Prefeito de Maués solicita apoio para conter violência no período eleitoral

O prefeito de Maués afirmou que os fatos que têm acontecido estão ligados diretamente a sua candidatura e administração - foto: Divulgação

O prefeito de Maués afirmou que os fatos que têm acontecido estão ligados diretamente a sua candidatura e administração – foto: Divulgação

O atual prefeito do município de Maués e candidato à reeleição, Carlos Góes (PT), está em Manaus, para solicitar reforço na segurança do governo do Estado do Amazonas ao Ministério Público Estadual (MPE), Tribunal do Justiça do Estado (Tjam) e Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM) para este pleito. A motivação do pedido seria a morte do seu segurança, Darcy Nildo Santos Marinho, de 40 anos, ocorrida na última segunda-feira (5), e também pelo clima de violência que predomina na cidade neste período eleitoral.

Na madrugada de segunda-feira, o segurança do prefeito, Darcy Marinho, foi morto dentro de um banheiro, na última noite do Festival de Verão, realizado na praia do município. “Ele foi para o banheiro, e lá havia ‘galerosos’ batendo boca. No momento em que ele foi intervir, veio um cidadão e desferiu uma facada no peito dele. Não podemos confirmar se foi obra de outros candidatos, mas sabemos que há algum grupo organizado para criar esse clima de terror em Maués”, afirmou o vice-prefeito, Bruno Negreiros (PCdoB).

Ainda de acordo com Negreiros, o prefeito Carlos Góes vem sofrendo várias ameaças de pessoas ligadas à política, para que ele “haja com cuidado”. “No sábado, quando realizávamos o nosso comício de campanha, a polícia prendeu um homem com uma arma caseira há 10 metros do palco, onde estávamos. Jogaram até uma bomba caseira na casa da mãe. Felizmente, ninguém ficou ferido”.

A equipe do EM TEMPO entrou em contato com o prefeito de Maués, que, em entrevista, afirmou que os fatos que têm acontecido estão ligados diretamente a sua candidatura e administração. “Todos os acontecimentos estão, coincidentemente, contra o meu governo. Para garantir a segurança, suspendi toda as minhas atividades de campanha, para vir até Manaus e resolver esse problema, já que manter a ordem no município é mais importante”, disse Carlos.

Histórico

Maués tem precedência de episódios de grande violência que ocorrem durante os períodos eleitorais, tanto que no ano de 2000, um grupo militantes ateou fogo nas dependências de dois cartórios eleitorais, culminando em um incêndio de proporções incontroláveis. Nestas semanas, três Unidades Básicas de Saúde (UBSs) foram invadidas e depredadas por pessoas que ainda não foram identificadas. Na segunda-feira, a sede do Partido dos Trabalhadores e o setor jurídico da coligação do atual prefeito foram atacados por um grupo de indivíduos, que na hora agrediu um segurança.

O prefeito ainda ressalta que já vem solicitando, desde o início do pleito, o apoio das Forças Armadas, para ajudar no reforço, e que agora, em Manaus, protocolizou pedido de ajuda também dos órgãos estaduais para intervir com a segurança. “Agora, não me resta aguardar o posicionamento em nosso favor. Lembrando que estamos tomando as providências em prol da família do segurança, verificando o que aconteceu de fato”, finalizou.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir