Economia

Preços do petróleo derrubam Bolsa e fazem dólar chegar a R$ 4,10

Os preços do petróleo operavam em forte baixa na manhã desta quarta-feira (20), renovando as mínimas de 2003. A queda da commodity derruba Bolsas pelo mundo e faz com que o dólar se valorize ante o real.

O petróleo perdeu mais terreno após a Agência Internacional de Energia, que aconselha países industrializados sobre política energética, alertar que os mercados de petróleo podem “se afogar em excesso de oferta” em 2016.

Às 10h30 (de Brasília), O Brent, negociado em Londres, se desvalorizava em 3,51%, a US$ 27,75 o barril. Já o WTI, comercializado no mercado americano, tinha queda de 3,69%, a US$ 27,41.

A commodity enfrenta uma brusca desvalorização após uma mudança na estratégia da Arábia Saudita, que aumentou consideravelmente a oferta do produto, além da volta do Irã, outro grande produtor, ao mercado e uma possível desaceleração da economia da China.

Bolsa

O principal índice acionário do Brasil iniciou o dia em queda, puxado pela baixa das ações da Petrobras e da Vale.
Às 10h35 (de Brasília), o Ibovespa tinha queda de 1,90%, aos 37.334 pontos.

Na terça (19), as ações da Petrobras amargaram outro dia de desvalorização, após voltar ao patamar de 1999.

As ações preferenciais da Petrobras, mais negociados e sem direito a voto, têm queda de 5,15%, a R$ 4,41, enquanto as ações ordinárias, com direito a voto, se desvalorizavam em 4,06%, a R$ 5,90.

Os papéis preferenciais da Vale caíam 4,54%, a R$ 6,72%, enquanto que as ações ordinárias têm queda de 4,35%, a R$ 8,78.

Dólar

O dólar chegou a avançar a R$ 4,10 pela primeira vez desde setembro nesta quarta (20), refletindo o quadro de aversão a risco nos mercados globais diante de novo tombo dos preços do petróleo.

Às 10h35 (de Brasília), o dólar à vista, referência no mercado financeiro, se valorizava em 1,06%, a R$ 4,086 na venda. Já o dólar comercial, utilizado no comércio exterior, tinha alta de 0,78%, a R$ 4,087.

Por Folhaspress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir