Economia

Preço da gasolina volta a cair em Manaus

Há duas semanas, o preço médio tinha baixado para R$ 3,59, como forma de promoção por conta das férias, segundo o sindicado do segmento - foto: Ricardo Oliveira

Há duas semanas, o preço médio tinha baixado para R$ 3,59, como forma de promoção por conta das férias, segundo o sindicado do segmento – foto: Ricardo Oliveira

De acordo com o frentista Paulo Assis, do Posto Equador na avenida Timbiras, bairro Cidade Nova, Zona Norte, o produto teve redução nas últimas duas semanas até mesmo na gasolina aditivada, que também pode ser encontrada também a R$ 3,49.

Outras bandeiras também foram encontradas os mesmos valores, como o posto Atem e o BR, na avenida das Torres, todos na Zona Norte. O valor mais baixo foi apontado num posto Equatorial, no bairro São José, na Zona Leste, com o preço de R$ 3,42.

A prática dos valores iguais em quase todos os postos da cidade tem sido investigada pelo Ministério Público do Estado (MPE), além de outros órgãos de defesa do consumidor. Segundo as entidades de fiscalização, a redução tem sido causada pelo temor dos empresários de um inquérito que investiga a prática de cartel nos postos de combustíveis de Manaus.

Temporário

Conforme o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis do Amazonas (Sindicam), Geraldo Dantas, a redução tem ocorrido devido a uma espécie de promoção temporária, em virtude da queda no volume de carros que circulam na cidade em função das férias, quando muitas pessoas viajam e as empresas e órgãos públicos entram em recesso. “Com a diminuição do número de carros na cidade, os postos procuram fazer promoções e baixar os preços para manter as vendas”, explicou.

Segundo o promotor Otávio Gomes, titular da 51ª Promotoria de Justiça Especializada na Defesa dos Direitos do Consumidor (51ª Prodecon), existe um inquérito civil em que apura abusos de reajustes de combustíveis. “Espero que essa redução não seja nenhum prenúncio de aumento nos preços dos combustíveis, pois seria prejudicial e abusivo quanto ao consumidor”, afirmou Gomes.

Para o motorista que tem abastecido com os valores reduzidos nos últimos dias, tem sido um alívio. O empresário Luiz Augusto afirma que tem sentido a redução, mas não espera que os valores perdurem por muito tempo. “A verdade é que são muito estranhos esses ajustes. Uma hora está um valor, outras vezes encontramos uma diferença muito pequena de um posto para outro. Nunca sabemos como isso vai ficar”, lastimou o consumidor.

Por Stênio Urbano

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir