Sem categoria

“Seremos soltados do PRB”, diz Silas Câmara ao tomar posse no comando do partido em Manaus

O presidente do PRB, Marcos Pereira, disse que a experiência de Silas Câmara, que há 15 anos atua na política - foto: Marcio Melo

O presidente do PRB, Marcos Pereira, disse que a experiência de Silas Câmara, que há 15 anos atua na política, é de suma importância para o partido – foto: Marcio Melo

Filiado ao Partido Republicano Brasileiro (PRB) há um mês, o deputado federal Silas Câmara assumiu a presidência da Executiva Regional no Amazonas, na manhã dessa sexta-feira, em Manaus. O presidente da Igreja Assembleia de Deus no Estado, Jônatas Câmara (irmão de Silas), militantes, prefeitos do interior e o senador Omar Aziz (PSD) prestigiaram a solenidade, na Zona Oeste da capital.

“O PRB no Amazonas incorpora o mesmo sentimento que o país vive nesse momento de crise política. Queremos um país passado a limpo, com mais transparência e velocidade. A minha filiação ao partido vem reforçar os trabalhos em favor do povo que preza por um país melhor”, disse Silas, ao tomar posse. “O PRB foi o partido que mais cresceu nos últimos anos, e seguiremos juntos trabalhando com muita garra e disposição aqui no Amazonas”, enalteceu.

O deputado ressaltou que o Amazonas apoiará todas as determinações da direção nacional. “Iremos abraçar todas as propostas do diretório nacional. O que for definido lá será apoiado aqui. Seremos soldados do PRB. Estamos prontos para avançar, honrar o partido e ao povo. Como diz o meu pastor e irmão Jonathas Câmara, quem fala para lideres fala para multidões, portanto, estamos falando para o Amazonas que o PRB chegou, e chegou para valer a partir de agora” afirmou.

O presidente do PRB, Marcos Pereira, disse que a experiência de Silas Câmara, que há 15 anos atua na política, é de suma importância para o partido. “Ele é um deputado muito experiente, não só na Câmara dos deputados, como nas peculiaridades regionais do Amazonas. Estamos muito satisfeitos com essa chegada e acredito que Silas vem para somar os trabalhos”, disse.

Marcos Pereira comentou sobre a decisão do PRB de ser favorável à abertura do processo de impeachment contra a Presidente Dilma Roussel (PT). Segundo ele, a decisão foi tomada em conjunto. “Votamos a favor por acreditar que a presidenta cometeu sim, crime de responsabilidade, e por entender que o PT não tem mais condições de dirigir o país. O Brasil está emergido numa crise econômica profunda que é agravada por uma crise política”, disse.

Na opinião do presidente, o processo de impeachment também será aprovado no Senado, pois o número de parlamentares que compõem a bancada favorável ao processo, é superior aos senadores Pró-Dilma. “Precisamos urgentemente de um recomeço, e para isso, estamos pedindo que os senadores tenham serenidade e pressa para darmos prosseguimento ao processo. Para resgatar o emprego dos mais de 10 milhões de desempregados no país, defendemos veementemente o afastamento da presidente Dilma”. O Brasil pede por mudanças”, afirmou.

Apoio

O senador do Amazonas, Omar Azis, do Partido Social Democrático (PSD), esteve prestigiando a posse do deputado Silas Câmara, e disse que não se incomodou com a saída do parlamentar, que era filiado ao PSD, para ingressar ao PRB. ” Pelo contrário, fico feliz por esse novo desafio que Silas se propõe a enfrentar. Tenho certeza que ele continuará atuando com muita responsabilidade e dedicação ao povo amazonense. Ele é um amigo e companheiro que sempre esteve do nosso lado. O importante é sermos um grupo unido, a sigla partidária não é prioridade, e sim os trabalhos em favor da população” , declarou o senador ao afirmar que também votará a favo do impeachment

“Eu votarei sim. Entendo que a presidente Dilma cometeu erros gravíssimos em sua administração, e agora um erro maior: difamando o nosso país” disse. “A situação se assemelha a um marido quando se divorcia da esposa que sai falando mal da ex companheira. Assim está a presidente, deveria sair do governo com altivez, mas prefere difamar nacionalmente e internacionalmente o Brasil. Ela diz que o impeachment é um golpe, e não é. Golpe foi o que ela fez, ao dizer que o Brasil estava bem, que não íamos parar o crescimento do pais, uma mentira. Estamos na ruína e precisamos avançar novamente”, avalio.

Por Bruna Amaral

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir