Política

PP da Câmara anunciará desembarque da base do governo nesta terça

Além disso, os deputados pressionam o presidente do partido, senador Ciro Nogueira (PI), a romper formalmente com o Planalto - foto: divulgação

Além disso, os deputados pressionam o presidente do partido, senador Ciro Nogueira (PI), a romper formalmente com o Planalto – foto: divulgação

A bancada do PP na Câmara decidiu anunciar seu desembarque da base aliada do governo Dilma Rousseff e o apoio à abertura do processo de impeachment da presidente na votação prevista para o domingo (17). O gesto representa um novo revés para o Planalto e amplia a sensação de que a presidente vem ficando cada vez mais isolada.

Além disso, os deputados pressionam o presidente do partido, senador Ciro Nogueira (PI), a romper formalmente com o Planalto. A ofensiva ocorre no momento em que o governo elegeu o PP como seu principal alvo na busca de apoio contra o impedimento da presidente.

O Planalto ofereceu o Ministério da Saúde, maior orçamento da Esplanada, e a presidência da Caixa Econômica Federal para a legenda, que hoje já tem o comando da Integração Nacional. Com isso, o governo considerava ter conseguido amarrar os votos da maior parte do PP contra o impeachment de Dilma.

O partido tem a quarta maior bancada na Câmara, com 47 dos 513 votos no plenário. São necessários 342 votos para que o texto em favor do processo de impeachment seja aprovado e encaminhado para o Senado.

Segundo a reportagem apurou, o líder do partido na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PB), se reuniu na manhã desta terça com alguns deputados e definiu o anúncio. Apenas seis deputados, consultados por telefone, não concordavam com o posicionamento.

Após a reunião, Nogueira será comunicado oficialmente da decisão.

Ele, no entanto, já avisou ao Palácio do Planalto que não conseguirá entregar os votos que havia prometido e disse a aliados que, se insistisse na operação para segurar os deputados que querem o afastamento de Dilma correria o risco de perder o controle da bancada. Neste último domingo (10), nove diretórios estaduais, já tinham fechado posição favorável ao impedimento, entre eles SP, RS, PR, GO e MG.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir