Esportes

Ponte Preta reclama de provocação e vai à CBF contra o Corinthians

Irritada com uma provocação no telão do Itaquerão, na quinta-feira (2), a Ponte Preta anunciou nesta sexta (3) que entrará com uma representação na CBF (Confederação Brasileira de Futebol) contra o Corinthians por causa de uma mensagem exibida no placar eletrônico no estádio.

Durante a partida entre as duas equipes na noite de quinta, pelo Campeonato Brasileiro, o telão mostrou “#desde77”, em referência ao título paulista de 1977 do Corinthians, que derrotou a Ponte Preta na final.

De acordo com o clube de Campinas, a representação será feita via FPF (Federação Paulista de Futebol).

“Foi usado um meio oficial para provocar a torcida do adversário, uma atitude no mínimo imatura e que incita a violência. Cabe lembrar que na partida contra o Joinville o locutor do estádio lá também provocou a Ponte e houve punição ao time catarinense e mesmo aqui já tivemos episódio semelhante em dérbi no qual um locutor contratado excedeu-se em seus comentários e acabou banido”, disse Giuliano Guerreiro, diretor jurídico da Ponte Preta.

Com gols de Jadson e Vagner Love, o Corinthians derrotou o rival por 2 a 0 em seu estádio.

“Temos um bom relacionamento com a diretoria corintiana e nunca esperaríamos uma atitude destas, que apequena o time paulistano. Foi uma provocação gratuita e desnecessária, ainda mais em uma partida que ambas as equipes jogaram bem e que ocorreu justamente após um confronto no Paulista deste ano entre os dois em que notoriamente a Ponte foi prejudicada por erro de arbitragem que até os jogadores corintianos reconheceram. O que fizeram ontem foi uma atitude lamentável”, disse Giovanni Dimarzio, diretor social e vice-presidente da Ponte.

Esta não é a primeira vez que o Corinthians se envolve neste tipo de polêmica. No dia 13 de junho, o placar eletrônico do Itaquerão provocou o Internacional ao exibir a frase “#poenodvd”.
A mensagem fazia referência a um DVD apresentado em 2009 pelo então vice-presidente do Inter, Fernando Carvalho, que continha sucessivos erros de arbitragem a favor do Corinthians, contra o qual o Inter faria a final da Copa do Brasil daquele ano. O objetivo do dirigente era alertar para o que considerava um favorecimento ao Corinthians.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir