Economia

Polo de duas rodas prevê recuperação para 2016

As exportações de motocicletas continuam com um baixo índice ao totalizar 63.179 unidades de janeiro a novembro de 2015 - foto: divulgação

As exportações de motocicletas continuam com um baixo índice ao totalizar 63.179 unidades de janeiro a novembro de 2015 – foto: divulgação

Segundo a Associação dos Fabricantes de Motos e Similares (Abraciclo), o auge da crise foi em 2015 e, por este motivo, o próximo ano deverá ser melhor. De acordo com o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, os empresários do setor buscam alternativas para sair do atual cenário de crise econômica.

Em relação a preços, Fermanian ressaltou que, no próximo ano, cada marca de motocicletas fará a análise do momento de mercado para avaliar se reajusta os preços para mais ou para menos.

Para o próximo ano, o setor espera o fim da queda do mercado de motocicletas, porém, neste ano não foi positivo para o setor. Entre janeiro e novembro de 2015 foram produzidas em torno de 1,2 milhão de motocicletas, volume 15% inferior ao apresentado em igual período de 2014, tendo queda de 28,2% na comparação mensal.

Para as concessionárias, as vendas no atacado registraram um recuo de 14,9% no acumulado do ano, que representa 1,12 milhão em relação aos primeiros 11 meses do ano passado, quando foram comercializadas 1,3 milhão de motocicletas.

No varejo, foi observado um crescimento de 18,4% no volume de motocicletas, passando de 89.020 unidades, em outubro, para 105.371 em novembro.

Exportações

As exportações de motocicletas continuam com um baixo índice ao totalizar 63.179 unidades de janeiro a novembro de 2015, recuo de 23% frente a igual período de 2014, com 82 mil motos.

Projeção

O diretor executivo da Honda do Brasil, Paulo Takeuchi, afirmou que, apesar do ano conturbado, a projeção para o próximo ano é positiva.

Segundo ele, mesmo com o otimismo da Abraciclo no segmento, Takeuchi reconhece que o mercado não ficará estabilizado no início do próximo ano, mas somente no segundo semestre.

Por Asafe Augusto

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir