Dia a dia

Policiais civis do Amazonas fazem paralisação de advertência por benefícios atrasados

O protesto aconteceu em frente ao 19º DIP, na Zona Oeste de Manaus – foto: Gerson Freitas

O protesto aconteceu em frente ao 19º DIP, na Zona Oeste de Manaus – foto: Gerson Freitas

O Sindicato dos Funcionários da Polícia Civil do Amazonas (Sinpol-AM) liderou na manhã desta quarta-feira (16) uma paralisação de alerta, visando pressionar o governo a iniciar uma negociação com a categoria, que está há mais de três meses benefícios atrasados.

O protesto aconteceu em frente ao 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), localizado na Zona Oeste de Manaus.

Conforme Moacyr Maia, presidente do Sinpol-AM, desde janeiro a classe não recebe o vale-alimentação. Durante este período, vem tentando um diálogo com o governador José Melo para discuti o corte do benefício, mas até o momento não obteve sucesso.

“Sabemos que o país passa por um momento difícil, tanto na política como na economia. Mas não podemos ficar à mercê dessa situação. Queremos esclarecimento sobre o fato, pois a categoria vem cobrando uma posição do sindicato diariamente. Por isso decidimos realizar um movimento de alerta, no intuito de chamar a atenção do governador. Precisamos dar uma resposta aos nossos policiais”, disse.

Além do vale-alimentação, a categoria reclama ainda as promoções dos servidores, atrasada há pelo menos três anos e a data-base de 2015 que até o momento não foi repassada para a classe, a falta de contingente nas delegacias, com déficit de ao menos 1,5 mil servidores e a abertura imediata de concurso público, como alegou Maia.

As paralisações com duração de ao menos uma hora, deverão continuar pelos próximos dias, em alguns DIPs da capital que ainda serão escolhidos pela direção da entidade. Uma nova assembleia geral será realizada para definir a programação, segundo o Sinpol-AM.

Em nota, a Secretaria de Estado de Segurança (SSP) “informou que o governo vem cumprindo anualmente com os reajustes escalonados previstos em Lei referentes não apenas à Polícia Civil, mas a todos os órgãos que compõe o Sistema de Segurança Pública do Amazonas. De acordo com a Secretaria de Estado da Administração (Sead), servidores da Polícia Civil receberam em janeiro deste ano aumentos que vão de 10,74% a 15,27%”.

O texto diz também que “os reajustes são previstos em Lei, como forma de reposição de perdas salariais passadas e estão sendo pagos, de forma escalonada, pelo Governo do Estado, desde 2012 até 2016. Em relação às outras reivindicações, o governo alega que, em função da crise, está impedido de adotar medidas que vão onerar ainda mais a folha de pagamento”.

“Ainda por conta da redução no orçamento, houve atraso temporário no pagamento de ticket alimentação, mas que a Polícia Civil está buscando uma solução administrativa financeira para normalizar a situação”.

Gerson Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir