Sem categoria

Polícia ouve jovem que jogou dinheiro falso em José Melo, mas investigação segue sob sigilo

Notas falsas de dinheiro caem sobre o governador durante coletiva na Aleam – foto: reprodução/vídeo

Notas falsas de dinheiro caem sobre o governador durante coletiva na Aleam – foto: reprodução/vídeo

A polícia ouviu, na tarde de quarta-feira (10), o depoimento do jovem Hinaldo de Castro Conceição, 20, que atirou notas falsas de dinheiro no governador José Melo (Pros), durante uma coletiva de imprensa na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), dia 1º de fevereiro, durante suposto ato de protesto.

O rapaz prestou esclarecimentos na sede da Delegacia Geral da Polícia Civil, localizada na avenida Pedro Teixeira, bairro Dom Pedro, Zona Oeste de Manaus. Na ocasião, familiares e amigos de Hinaldo, além de membros de movimentos sociais, manifestaram apoio ao jovem, com faixas e cartazes.

Conforme a polícia, um mandado de busca e apreensão foi cumprido no último sábado (6) na residência de Hinaldo, onde dois celulares e um notebook foram apreendidos e encaminhados para perícia.

A polícia informou ainda que os delegados responsáveis pelo caso não confirmaram a ligação do jovem com grupos criminosos que agem contra o governador, mas investigações seguem sob sigilo.

Entenda o caso
Durante a coletiva na manhã do dia 1º de fevereiro, na Aleam, o manifestante Hinaldo de Castro Conceição, conseguiu burlar a segurança e começou a atirar notas de R$ 100 contra o governador José Melo (Pros). No dia 25 de janeiro, tanto Melo quanto o vice, Henrique Oliveira (SD), tiveram os mandatos cassados pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM).

O suposto ato de protesto do jovem foi interrompido com ação dos seguranças da casa legislativa, pelos quais Hinaldo chegou a dizer que foi agredido. Após o episódio, o jovem foi ao 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde fez o registro de um Boletim de Ocorrência (B.O.).

Um inquérito policial foi aberto pela corregedoria da Aleam para investigar a ação do jovem contra o governador.

Em nota, a corregedoria informou que a reunião plenária realizada no dia 2 de fevereiro deste ano confirmou que servidores e parlamentares são suspeitos de envolvimento no ato de protesto. Um vídeo com imagens capturadas pelas câmeras do circuito de segurança da Aleam foi divulgado no plenário mostrando a ação do jovem.
Por Josemar Antunes

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir