Sem categoria

Polícia Militar reforça segurança para impedir volta de moradores à Cidade das Luzes

Patrulha da PM foi mantida no local para impedir uma nova invasão- fotos: Marcio Melo

Patrulha da PM foi mantida no local para impedir uma nova invasão- fotos: Marcio Melo

O Comando de Policiamento Especializado (CPE) da Polícia Militar do Amazonas (PM-AM) reforçou a segurança na invasão Cidade das Luzes, no bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus, para impedir a volta de um grupo de moradores ao terreno desocupado na semana passada. Na noite desse domingo (20) e madrugada desta segunda-feira, aproximadamente 40 pessoas tentaram entrar na propriedade para retirar pertences. Uma tenda já havia sido erguida na localidade. Uma barricada com cones foi instalada na entrada do imóvel. Não houve resistência dos moradores. Uma patrulha da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam) e outra da 20ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) foram mantidas no local. Dois homens tiveram os documentos de suas motocicletas apreendidos.

soldado da 20ª Cicom, informou que os ex-moradores estavam invadindo novamente o local e erguendo barracos

soldado da 20ª Cicom, informou que os ex-moradores estavam invadindo novamente o local e erguendo barracos

O ajudante de pedreiro Bismarck Pinheiro Cunha, 22, proprietário da moto Honda branca, placa OXM-0709, disse que os policiais já chegaram pedindo os documentos e dizendo que “invasor não podia possuir motocicleta, em seguida começaram a furar os pneus da moto com uma faca”, declarou. O eletricista de automóvel Francinaldo Mota Barbosa, 28, também reclamou que a sua motocicleta, uma Honda Bros branca, placa PHC-8312, foi danificada. Ele informou que o comandante da viatura da Rocam, responsável pela ação, exigiu os documentos da moto. “Eu ainda cheguei a cumprimentar os policiais, mas foram ignorantes e nos trataram como se fossemos bandidos”, desabafou.
A ex-moradora da invasão, Nete dos Santos, 38, disse que vai aguardar por uma providência do prefeito Arthur Virgílio Neto. Segundo Nete, os policiais agiram de forma brusca. “Não queremos guerra com ninguém, queremos sim um lugar digno para morar. Dessa vez, os policiais não atiraram com bala de borracha, mas com balas de verdade”, contou. Nete disse que não poderia afirmar se as famílias voltariam ao local, mas que irão lutar pela moradia das famílias não têm para onde ir.

Uma mulher disse que não poderia afirmar se voltariam ao local, mas que irão lutar pela moradia das famílias não tem para onde ir

Uma mulher disse que não poderia afirmar se voltariam ao local, mas que irão lutar pela moradia das famílias não tem para onde ir

O soldado Fragoso, da 20ª Cicom, informou que os ex-moradores estavam invadindo novamente o local e erguendo barracos. “Algumas pessoas chegam com a gente e pedem autorização para entrar no local para retirar as telhas e madeiras e até para procurar documentos que foram perdidos durante a desocupação do terreno. Diante disso, a guarnição faz o acompanhamento para atestar a veracidade”, disse o policial militar, que negou que os policiais furaram pneus de motocicletas. O PM relatou que a ordem oficial era impedir qualquer movimentação de pessoas no terreno.

Por Conceição Melquíades e Josemar Antunes

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir