Dia a dia

Polícia identificada autores de homicídios em delegacia de Presidente Figueiredo

Nesta quinta, outras testemunhas serão ouvidas para esclarecer a real motivação dos crimes e encaminhar o resultado das investigações à Justiça- fotos: Divulgação/PC-AM

Os detentos Aldemir Pereira da Silva, 20, e Lucas Fabiano Castro Machado, 19, foram identificados, nesta quarta-feira (19), como os autores do duplo homicídio dos presos Alisson Bismarque Cascaes, 21, e Tiago Andrade de Souza, 25, encontrados mortos na noite desta terça-feira (18), na carceragem da unidade policial do município de Presidente Figueiredo (distante 117 km de Manaus). 

De acordo com o delegado titular da 37ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), do município, Aldemir e Lucas eram companheiros de cela das vítimas e assumiram a autoria das mortes em depoimento durante a madrugada desta quarta. “Os dois alegam que aconteceu uma discussão por conta de uma dívida e resultou numa briga na cela. Os presos foram mortos por asfixia, não haviam perfurações nos corpos, mas estavam com bastante hematomas, o que nos leva a acreditar que houve uma forte luta corporal”, informou o delegado de Presidente Figueiredo.

Ainda segundo Valdnei Antonio, não foi confirmado que os autores do duplo homicídio e as vítimas façam parte de facção criminosa. Lucas foi preso no ano passado e Ademir no início deste ano pelos crimes de roubo na cidade. Alisson e Tiago, segundo o delegado, foram interceptados no dia 12 de abril deste ano com aproximadamente 800 trouxinhas de drogas e estavam aguardando agendamento para serem levados à audiência de custódia junto a Justiça de Presidente Figueiredo.

As vítimas foram mortas dentro da cela da delegacia

O delegado da 37ª DIP informou, também, que outros detentos foram ouvidos em depoimento no Inquérito Policial (IP) aberto para investigar o duplo assassinato na delegacia e confirmaram a participação dos detentos nas mortes dos companheiros de cela. Nesta quinta-feira, dia 20, segundo Valdnei Antonio, outras testemunhas serão ouvidas para esclarecer a real motivação dos crimes e encaminhar o resultado das investigações à Justiça.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

grupo
Subir