Sem categoria

Polícia Federal do Amazonas pede ajuda para encontrar foragidos da operação Vorax

 

Adriano Teixeira Salan, ex-secretário de administração da cidade, e o empresário Haroldo Portela de Azevedo - foto: divulgação/PF

Adriano Teixeira Salan, ex-secretário de administração da cidade, e o empresário Haroldo Portela de Azevedo – foto: divulgação/PF

Os foragidos da Justiça José Carlos Eduardo do Amaral Pinheiro – irmão do ex-prefeito da cidade de Coari, Adail Pinheiro -, Adriano Teixeira Salan, ex-secretário de administração da cidade, e o empresário Haroldo Portela de Azevedo, tiveram suas imagens autorizadas para divulgação pela 2º Vara da Justiça Federal no Amazonas nesta sexta-feira (22). A Polícia Federal pede ajuda a quem souber informar alguma coisa para descobrir o paradeiro ddos três. 

 

José Carlos Eduardo do Amaral Pinheiro - irmão do ex-prefeito da cidade de Coari, Adail Pinheiro

Eles foram sentenciados no dia 14 de julho deste ano, a 41 anos, quatro meses e 41 dias; 16 anos, um mês e 15 dias; 32 anos, oito meses e 41 dias de reclusão, respectivamente, em primeira instância, por crimes investigados pela PF na operação ‘Vorax’, realizada em 2008.
Em uma investigação da Polícia Federal foi descoberta uma série de crimes cometidos por uma organização criminosa instalada na Prefeitura de Coari (a 360 quilômetros de Manaus). Pinheiro, que é apontado como um dos principais articuladores do esquema criminoso, também foi condenado ao pagamento de multa no valor de R$ 323.759,81. Azevedo também foi condenado a pagar multa no valor de R$ 279.597,62.

Operação Vorax

As investigações referentes ao caso tiveram início em 2004, a partir de uma representação encaminhada pelo Ministério Público Federal (MPF) à Polícia Federal, que relatou haver irregularidades na execução de convênio firmado entre a prefeitura de Coari e a União, por meio do Ministério do Meio Ambiente, para a construção de um aterro sanitário no município.

Durante a realização da operação Vorax, em 2008, a PF cumpriu mandados de prisão preventiva e apreendeu, entre diversos outros materiais e equipamentos eletrônicos, quase R$ 7 milhões em dinheiro no forro de uma casa localizada em um conjunto habitacional construído pela prefeitura, em Coari, que seriam apenas uma parte dos recursos públicos desviados pelo grupo.

A PF solicita a quem tiver qualquer informação do paradeiro dos foragidos, ligar para os números (92) 3655.1515 e 3655.1517.

Por equipe EM TEMPO Online

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir