Mundo

Polícia da Tailândia dá R$ 300 mil a si mesma por prisão de suspeito

Policiais tailandeses dividirão entre si três milhões de bahts (cerca de R$ 300 mil) inicialmente oferecidos como recompensa por informações que levassem à prisão de um suspeito pela explosão que deixou 20 mortos e 125 feridos no centro de Bancoc em 17 de agosto.

Um suspeito que armazenava explosivos foi detido no sábado (29) na periferia de Bancoc sem ter sido acusado formalmente. A prisão foi feita com base em imagens de câmeras de segurança que mostram um homem abandonando uma mochila no local do ataque.

A polícia não informou se o homem detido é o principal suspeito pelo atentado e não apresentou evidências que o ligassem à rede de ao menos dez pessoas que, segundo os investigadores, teria planejado a explosão no templo de Erawan. Nenhum grupo assumiu a autoria do ataque.

Durante uma coletiva de imprensa nesta segunda-feira (31), o chefe da polícia da Tailândia, Somyot Punpanmuang, elogiou o trabalho de investigação que levou à prisão do suspeito.

“Foi a habilidade das autoridades tailandesas que levou à prisão”, disse Somyot, diante de pilhas de dinheiro em espécie. “Este dinheiro deve ser dado às autoridades que cumpriram seu papel.”

A recompensa de três milhões de bahts havia sido oferecida após o ataque pelo próprio Somyot e por dois amigos empresários que pediram anonimato. Não foi informado como o dinheiro seria distribuído entre os policiais.

O anúncio da auto recompensa fez com que aumentassem as críticas à polícia em torno da investigação sobre a explosão. Grande parte dos agentes tailandeses é mal paga e a prática de corrupção é disseminada entre eles.

Nesta segunda (31), a polícia divulgou imagens de dois outros suspeitos pelo atentado que se encontram foragidos.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir