Sem categoria

Polícia cumpre reintegração de posse em terreno invadido no Puraquequara

Viaturas da polícia bloqueiam a entrada da área - foto: divulgação

Viaturas da polícia bloqueiam a entrada da área – foto: divulgação

 

A Polícia Militar cumpre na manhã desta quinta-feira (5) mandado de reintegração de posse em um terreno invadido Ramal do Pescador, comunidade do Puraquequara, Zona Leste de Manaus.

Com a participação de mais de 73 homens do Comando de Policiamento Especializado (CPE), o trabalho iniciou por volta das 6h e seguiu de forma pacífica.

O tenente Paulo Victor, do Grupamento de Manuseio de Artefatos Explosivos da Polícia Militar (Marte), informou que os policiais militares acompanham o oficial de Justiça, Carlos Augusto Bindá, para o cumprimento da ordem judicial, apontando a área a ser de fato reintegrada.

“A reintegração ocorreu de forma pacífica sem resistências dos invasores contra os policiais. As famílias estão sendo retiradas em caminhões baús cedidos pelo proprietário do terreno”, disse o tenente Paulo Victor.

Conforme informações preliminares, cerca de 30 famílias ocupam ilegalmente a área há cerca de oito meses. No terreno, há diversos barracos, onde também se observa que alguns já viraram pontos de comércio, como salões de beleza, pequenas vendas e até igreja.

Maria das Graças da Conceição Lopes, 53, natural de Santarém (PA), mora na capital há dois anos, e estava ocupando a área desde fevereiro deste ano, com a filha de dois anos de idade.

“Eu já morava de favor no sítio e estava aqui no local por não ter um lugar para morar com a minha filha. Agora, com a demolição, não sei para onde ir, pois não tenho família em Manaus”, comentou emocionada a moradora.

Quem também vive o mesmo drama é desempregada Francigeane Cordeiro Kapeny, 36. Ele explicou, que há seis meses estava morando no lugar por não ter uma moradia.

Tratores estão trabalhando desde cedo na demolição dos barracos. Viaturas da polícia bloqueiam uma determinada entrada da área invadida e os moradores só podem adentrar aos poucos, de dez em dez, para buscar seus utensílios domésticos e outros pertences.

O terreno é de propriedade particular, do empresário Ivan Bertolini. Uma grande parte da área verde do local já foi degradada pela ocupação irregular.

Por Josemar Antunes

Texto atualizado às 12h para inserção de mais informações

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir